escreveu sobre Restaurante Roma

Crs 511 Bloco B

Em um restaurante, o ambiente e o atendimento são tão importantes quanto a comida. Sendo assim, falarei do Restaurante Roma, na 511 sul, na via W3. Parece-me que suas cinco décadas trouxeram alguma experiência ao estabelecimento.

Logo ao chegar fui muito bem recebido pelos garçons que prontamente me indicaram um lugar. Sentei-me. Comecei a reparar no ambiente ao meu redor. Não é nada muito sofisticado, mas o conjunto funciona: quadros da Roma antiga, colunas de tijolos aparentes, uma pequena cachoeira (ou
fonte, pra quem preferir) com pedras e samambaias, no fundo do salão.

Na verdade, a decoração chega a parecer um pouco brega. Mas como disse: funciona!

Música instrumental, bem baixinha, ao fundo (destaque para a seleção musical, que contava com “O seu nome eu escrevi na areia/ A onda do mar apagou/ Em cada pôr de sol, a saudade incendeia,/ Meu coração…”). O ambiente é tão agradável que tem de cuidar pra não cochilar, hehe.

Os garçons estão sempre por perto e atentos. Não ficam perguntando nada. Mas ao menor sinal de olhos que o cliente faça, eles se aproximam para atender.

Trouxeram o cardápio, que me conquistou logo no início com o seguinte trocadilho, impresso no rodapé de todas as páginas: “Quem tem boca, vai ao Roma”.

Ao passar os olhos no cardápio, decidi-me pelo filé à parmegiana com arroz e fritas. Pedi também uma jarra de suco de laranja.


O prato chegou muito rápido, em menos de 15 minutos. A porção de carne é muito bem servida para duas pessoas. O garçom, com muita habilidade me serviu e foi pro seu canto. Nada de ficar tagarelando com os colegas. São realmente profissionais. O arroz e a batata frita estavam bons. Mas o filé estava divino, bem macio e com bastante molho. Ah, sim, o molho de tomate não estava nem um pouco ácido.

Houve um detalhe que eu achei muito legal: estava acabando meu prato, faltava a última garfada. O garçom ficou espreitando, de longe, olhando meu prato de rabo de olho. Assim que eu acabei e descansei os talheres, ele veio e buscou o prato, perguntando se desejávamos algo mais.

Sinceramente, Brasília precisa aprender com os garçons do Roma! Em quase todos os outros estabelecimentos da Capital pagamos muito mais caro e recebemos um atendimento sofrível.

Recomendo.

E não é por nada não, mas acho que o Roma estará por aí por várias décadas ainda…
Foto opinião do Gustavo Carneiro sobre Restaurante Roma