Dicas rápidas Ver todas as dicas
Opinião em destaque

via Android

antigo viaduto que atravessa por cima das linhas do trem ligando bairro Santa Teresa ao centro da cidade, arquitetura tradicional do início do século se destaca por ser uma estrutura Ampla e contemporânea. Aos domingos é fechada durante certo período para a prática de atividade física e lazer da população, a noite Abriga o evento de Duelos de Mc a escola de grafite. Segure sua bolsa
avaliações recomendadas
   
Selecione uma nota
O viaduto de Santa Tereza foi construído em 1929 mas andar por lá não é seguro devido ao risco de ser assaltado mas costumo passar pelo viaduto pra poder apreciar a bela construção antiga da história de Belo Horizonte que liga o Centro ao Bairro Floresta; o passeio já foi tranquilo no passado e pode avistar um pouco da Serra do Curral.
Compartilhar experiências reais é nosso objetivo. São filtradas resenhas spam, ofensivas, que não se refiram ao local ou que sejam/pareçam resultado de conflito de interesse.

via Android

antigo viaduto que atravessa por cima das linhas do trem ligando bairro Santa Teresa ao centro da cidade, arquitetura tradicional do início do século se destaca por ser uma estrutura Ampla e contemporânea. Aos domingos é fechada durante certo período para a prática de atividade física e lazer da população, a noite Abriga o evento de Duelos de Mc a escola de grafite. Segure sua bolsa

Um dos símbolos da capital mineira, o Viaduto de Santa Tereza continua escrevendo a história da cidade.

Construído nos anos 20, permitiu facilitar a mobilidade das pessoas, ligando o centro da cidade aos bairros Floresta (bairro operário que albergou os trabalhadores que construíram a cidade) e Santa Tereza (conhecido pela sua vida boêmia e cultural), permitindo a circulação de bondes, carros e pedestres. A sua proximidade com a estação ferroviária, rodoviária e com o parque municipal, fazem dele ponto de referência e encontros.

Fonte de inspiração artística e política, pela sua arquitetura e movimentação, ele foi imortalizado em algumas obras, como é o caso de "Encontro Marcado" (1956), de Fernando Sabino.

No entanto, a beleza e bom funcionamento do cimo do viaduto contrasta com a parte inferior do mesmo onde nos deparamos com problemas sociais com os quais a cidade parece ter dificuldade em lidar. Pobreza extrema, higiene precária, álcool, drogas, problemas de saúde, os e as moradoras de rua, à primeira vista parecem, abandonadas à sua sorte.

O viaduto é bastante demostrativo da desigualdade social existente na cidade.

Se noutros tempos a parte superior do viaduto foi visibilizada por artistas como Carlos Drummond de Andrade hoje a parte inferior chamou a atenção dos movimentos sociais que reclamam pela visibilidade política do espaço e das pessoas que o ocupam.

Nos últimos anos, a parte inferior foi palco de manifestações culturais politizadas - como o duelo de MC's - de encontros de militantes de causas sociais, que discutem possibilidades para solucionar problemas que a prefeitura não tem sido capaz de resolver de forma pacifica e consensual.

A parte inferior do viaduto, tão invisível durante décadas, tornou-se um espaço de disputa política e ideológica, acabando por ter o seu acesso vedado pela prefeitura desde janeiro de 2014 para obras. A vedação da parte inferior do viaduto acabou desalojando pessoas, atividades culturais e de participação popular.

Vale a pena atravessar a pé o viaduto, principalmente à noite, com o sentimento de que "tout va bien" em BH e mais tarde caminhar ao longo da parte inferior para rapidamente entendermos como ele é, talvez, o simbolo que melhor caracteriza toda a desigualdade social.

Devido a falta de manutenção, ao estado de conservação em que se encontra e ao descaso da prefeitura leva 03 estrelas. Construído por volta da década de "XXX" (rsrsrs) o Viaduto Santa Tereza já foi imortalizado em livros, diga-se de passagem, na minha humilde opinião, por um dos melhores autores e em uma de suas melhores obras (O encontro marcado – Fernando Sabino). Nós dias atuais vive a intensa promessa de reforma e revitalização por parte da prefeitura. Dentre os eventos que ocorrem com maior frequência no local podemos citar o duelo de MC's as Sextas a noite e outros que ocorrem com menor frequência na Serraria Souza Pinto. Caso vá a noite prefira estar acompanhado. O local e de fácil acesso tanto pelo metro como por diversas linhas de ônibus que passam local.

É lindo, porém está em reforma. a arquitetura é cartão postal de BH. À noite iluminado e vista de cima tipo de dentro do elevador da garagem São José se vê uma vista maravilhosa desse viaduto. Recomendo e deveria ter um mirante para vê-lo dessa forma que vi. Passo muito à pé por ele para ir caminhar no Parque Municipal e serve de passagem de transeuntes que trabalham do lado de lá do centro de BH para os bairros.

O Viaduto Santa Tereza divide o centro e o caminho para o bairro que dá nome ao mesmo. Com uma bela arquitetura, um dos cartões postais da cidade deve ser apreciado com cuidado, pois o local é perigoso e com alto número de assaltos.

Uma obra bonita que vale apena ser apreciada.
O Viaduto hoje apesar de ter sido tombado esta jogado as traças, com constantes pixações e muita sujeira em seu entorno.
Obra gigante pela epoca que foi construida, é ainda hoje um espaço para encontros e duelos de MC´s. O movimento é muito bonito e traz uma nova proposta aos apreciadores desse ritmo.
Acho o transito um pouco confuso nessa região e o ambiente precisa de mais policiamento.
Enfim falta estrutura e cuidado.

Viaduto que tem muito das historias de BH mas que como muitos monumentos da cidade esta deixado de lado, sujo, pichado e um caminho muito perigoso a noite onde pessoas ruins aproveitam as oportunidades para assaltar as outras, iuliminação ruim e sem segurança.
Cartão postal de Belo Horizonte, mas precisando de ser mais bem cuidado! Principalmente as partes de escadas do viaduto que ficam no meio de cada lado. Sempre ficam muito sujas e com cheiro esquisito.

Este viaduto dá acesso aos bairros Centro, Floresta e Santa Tereza. De vez em quando tem umas festinhas em baixo dele, muitas vezes de rap. Há um tempo atrás teve também uma espécie de rave no local. E muitos skatistas frequentam a região também.

via Android

O viaduto Santa Teresa foi projetado pelo engenheiro Emílio Baumgart e construído em 1929. Ele faz a ponte entre os bairros Floresta e Santa Teresa para o centro de Belo Horizonte.

Faz cartão postal juntamente com a Praça da Estação e a Serraria Souza Pinto.
Necessita de uma atenção especial da Prefeitura de Belo Horizonte para sua revitalização.
O local muitas vezes é palco de reivindicações da população.
Exibindo 14 opiniões | Total de 30 opiniões
Você conhece o Viaduto Santa Tereza? Escreva uma opinião! Dê sua nota! Nota geral
Passe o mouse pelas estrelas clique para dar nota

Opinião
Para enviar fotos ou preencher os campos adicionais, faça seu (Você não perderá a opinião escrita)