Dicas rápidas Ver todas as dicas
Opinião em destaque

Em nossa estadia no Rio de Janeiro decidimos explorar o que de melhor a Cidade Maravilhosa tem para apresentar em toda sua diversidade gastronômica, lógico que o melhor Tailandês da região não ficaria fora do nosso roteiro. A única dúvida seria escolher qual das unidades do Sawasdee iríamos explorar, Leblon ou Ipanema? Optamos por seguir para Ipanema, pois ficaria mais próximo ao nosso hotel em Copacabana.

Chegamos por volta das 21:00 na linda casa de dois andares. O prédio foi todo reformado para lembrar os chalés tailandeses, muito charmoso. Ainda bem que tínhamos reserva pois a casa estava lotada.

Sawasdee (pronuncia-se Savasdí), em tailandês, é uma saudação para quando os convidados chegam a nossa casa, uma espécie de “Seja Bem Vindo”, e este conceito é muito bem aplicado no restaurante, fomos atendidos de forma exemplar desde a recepção e ficamos muito bem acomodados com vista privilegiada para rua Barão da Torre.

O que mais impressiona são as diversas peças decorativas trazidas da Ásia, cada uma com sua própria história e seu significado na cultura oriental. O Sawasdee tem uma coleção de arte que por si só já valeria uma visita.

O motivo do sucesso estrondoso do Sawasdee é a perfeita mescla dos sabores complexos da Tailândia com o charme carioca. O cardápio composto pelo premiado chef Marcos Sodré é dinâmico e tem sempre novidades. A cada estação novos pratos entram no menu, além dos clássicos da gastronomia tailandesa, é fácil encontrar receitas de países como Índia, Vietnã e China, é o lugar e a oportunidade perfeita para saborear um bom tempero oriental.

Adorei o fato do cardápio apresentar uma opção de vinho ou espumante para cada entrada ou prato, facilitando em muito uma boa harmonização.

Para começar, um Suco de Lichia, um de Laranja e o famoso Mandiopan, um delicioso “salgadinho” feito de mandioca que antigamente vendiam-se em grandes pacotes, é uma espécie de avô do Doritos. A versão do Sawasdee é deliciosa, e eles não cobram o couvert, é cortesia da casa!

A entrada estava deliciosa, Tartar de Atum: com chips crocantes de Batata Doce e Shimeji trufado. – R$ 27,00 (03/2015) – Como estávamos com muita fome quando chegamos, acabou rapidinho!

Entre as entradas também escolhemos o Goong Sarong Harumaki: Rolinhos de camarão em harumaki (tipo um rolinho primavera) e sambal de coco. – R$ 28,00 (03/2015) – O sambal é um condimento baseado em pimenta malagueta, e apesar de ter “um foguinho” no cardápio, é bem suave, quase não se sente a pimenta. Fica ainda mais delicioso com o molho que acompanha.

Como pratos principais escolhemos Khao Tom: Risoto de frutos do mar ao estilo Tailandês levemente picante, salpicado de alho torrado e coentro. – R$ 68,00 (03/2015) –

Este risoto é muito bem preparado dá pra sentir cada ingrediente do prato em grande harmonia, tem um ótimo custo-benefício, acho o preço excelente pelo que oferece. Apesar de ter “um foguinho” no cardápio achei bem apimentado, picante na medida, minha classificação pessoal deu 2 foguinhos.

Pla Saowarot: Filet de cherne crocante com risoto de shitake ao curry de maracujá. – R$ 90,00 (03/2015) – Um delicioso prato agridoce de paladar único. Só experimentando para entender.

Outro prato delicioso é o Cherne com Pupunha: Trata-se de um peixe cherne grelhado com talharim de pupunha, gengibre, couve, pimenta dedo de moça e mais alguns temperos. A iguaria é exclusiva do Sawasdee Bistrô no Leblon, que faz parte do seleto grupo da Associação dos Restaurantes da Boa Lembrança. Pedindo este, que é o Prato da Boa Lembrança representante de 2015 do restaurante, você recebe de presente um prato de porcelana pintado a mão.

Partimos para a sobremesa, na dúvida, diante de um cardápio tão rico em ingredientes e especiarias, deixamos na mão do mestre Marcos Sodré para que nos surpreendesse. Resultado: A escolha não podia ter sido mais perfeita! Além da honra de estar junto a um dos maiores chefs do Brasil, nos deliciamos com um Thai Coconut Mango: Sorvete de coco e um leque de manga, coberto com calda de tangerina, flocos de coco torrado e gergelim – R$ 22,00 (03/2015) – e Ganache de Chocolate: Com castanhas do pará e deliciosos, cremosos, inesquecíveis morangos flambados no sakê. – R$ 22,00 (03/2015) – Pra completar a festa, acompanha um sorvete de creme.

O Sawasdee é o lugar ideal para quem procura uma comida ultra saborosa, seja ela forte, temperada, apimentada ou super suave repleta de especiarias.
avaliações recomendadas
   
Selecione uma nota

Em nossa estadia no Rio de Janeiro decidimos explorar o que de melhor a Cidade Maravilhosa tem para apresentar em toda sua diversidade gastronômica, lógico que o melhor Tailandês da região não ficaria fora do nosso roteiro. A única dúvida seria escolher qual das unidades do Sawasdee iríamos explorar, Leblon ou Ipanema? Optamos por seguir para Ipanema, pois ficaria mais próximo ao nosso hotel em Copacabana.

Chegamos por volta das 21:00 na linda casa de dois andares. O prédio foi todo reformado para lembrar os chalés tailandeses, muito charmoso. Ainda bem que tínhamos reserva pois a casa estava lotada.

Sawasdee (pronuncia-se Savasdí), em tailandês, é uma saudação para quando os convidados chegam a nossa casa, uma espécie de “Seja Bem Vindo”, e este conceito é muito bem aplicado no restaurante, fomos atendidos de forma exemplar desde a recepção e ficamos muito bem acomodados com vista privilegiada para rua Barão da Torre.

O que mais impressiona são as diversas peças decorativas trazidas da Ásia, cada uma com sua própria história e seu significado na cultura oriental. O Sawasdee tem uma coleção de arte que por si só já valeria uma visita.

O motivo do sucesso estrondoso do Sawasdee é a perfeita mescla dos sabores complexos da Tailândia com o charme carioca. O cardápio composto pelo premiado chef Marcos Sodré é dinâmico e tem sempre novidades. A cada estação novos pratos entram no menu, além dos clássicos da gastronomia tailandesa, é fácil encontrar receitas de países como Índia, Vietnã e China, é o lugar e a oportunidade perfeita para saborear um bom tempero oriental.

Adorei o fato do cardápio apresentar uma opção de vinho ou espumante para cada entrada ou prato, facilitando em muito uma boa harmonização.

Para começar, um Suco de Lichia, um de Laranja e o famoso Mandiopan, um delicioso “salgadinho” feito de mandioca que antigamente vendiam-se em grandes pacotes, é uma espécie de avô do Doritos. A versão do Sawasdee é deliciosa, e eles não cobram o couvert, é cortesia da casa!

A entrada estava deliciosa, Tartar de Atum: com chips crocantes de Batata Doce e Shimeji trufado. – R$ 27,00 (03/2015) – Como estávamos com muita fome quando chegamos, acabou rapidinho!

Entre as entradas também escolhemos o Goong Sarong Harumaki: Rolinhos de camarão em harumaki (tipo um rolinho primavera) e sambal de coco. – R$ 28,00 (03/2015) – O sambal é um condimento baseado em pimenta malagueta, e apesar de ter “um foguinho” no cardápio, é bem suave, quase não se sente a pimenta. Fica ainda mais delicioso com o molho que acompanha.

Como pratos principais escolhemos Khao Tom: Risoto de frutos do mar ao estilo Tailandês levemente picante, salpicado de alho torrado e coentro. – R$ 68,00 (03/2015) –

Este risoto é muito bem preparado dá pra sentir cada ingrediente do prato em grande harmonia, tem um ótimo custo-benefício, acho o preço excelente pelo que oferece. Apesar de ter “um foguinho” no cardápio achei bem apimentado, picante na medida, minha classificação pessoal deu 2 foguinhos.

Pla Saowarot: Filet de cherne crocante com risoto de shitake ao curry de maracujá. – R$ 90,00 (03/2015) – Um delicioso prato agridoce de paladar único. Só experimentando para entender.

Outro prato delicioso é o Cherne com Pupunha: Trata-se de um peixe cherne grelhado com talharim de pupunha, gengibre, couve, pimenta dedo de moça e mais alguns temperos. A iguaria é exclusiva do Sawasdee Bistrô no Leblon, que faz parte do seleto grupo da Associação dos Restaurantes da Boa Lembrança. Pedindo este, que é o Prato da Boa Lembrança representante de 2015 do restaurante, você recebe de presente um prato de porcelana pintado a mão.

Partimos para a sobremesa, na dúvida, diante de um cardápio tão rico em ingredientes e especiarias, deixamos na mão do mestre Marcos Sodré para que nos surpreendesse. Resultado: A escolha não podia ter sido mais perfeita! Além da honra de estar junto a um dos maiores chefs do Brasil, nos deliciamos com um Thai Coconut Mango: Sorvete de coco e um leque de manga, coberto com calda de tangerina, flocos de coco torrado e gergelim – R$ 22,00 (03/2015) – e Ganache de Chocolate: Com castanhas do pará e deliciosos, cremosos, inesquecíveis morangos flambados no sakê. – R$ 22,00 (03/2015) – Pra completar a festa, acompanha um sorvete de creme.

O Sawasdee é o lugar ideal para quem procura uma comida ultra saborosa, seja ela forte, temperada, apimentada ou super suave repleta de especiarias.
Foto opinião do Fábio Junior Alves sobre Sawasdee Bistrô
Compartilhar experiências reais é nosso objetivo. São filtradas resenhas spam, ofensivas, que não se refiram ao local ou que sejam/pareçam resultado de conflito de interesse.

O restaurante tem um ambiente muito agradável, e uma comida excelente.
Para quem gosta de comida Tailandesa, ou quiser ter uma experiência gastronômica diferente o local é ótimo.
O atendimento é muito atencioso e os garçons são bem pacientes para explicar os pratos para marinheiros de primeira viagenm.
De entrada recomendo um dos mixes de entrada, principalmente se for sua primeira vez lá. Eu particularmente gostei da berinjela com missô.
De prato principal pedi o Gaeng Keo Wan Gai., um frango no curry verde. Apesar de picante achei delicioso, mas se você não gosta de pimenta recomendo seguir as orientações do cardápio que indicam quais são os pratos apimentados.
Apesar de querer não tive espaço para sobremesa. Pretendo voltar lá para repetir a experiência.

Comer o que ? difícil escolha diante de um cardápio tão rico em ingredientes e especiarias. Minha irmã me convidou para jantar e o engraçado é que ela sempre pede o mesmo prato, fatias de frango, legumes e curry verde Thai apimentado e amenizado pelo leite de coco. Eu fui na sugestão do chef, camarões grelhados com aspargos, shitake e 3 tipos de curry. Claro que em pouscos minutos o suor escorria pelos poros, porém não resisto a uma boa dose de pimenta. De entrada provamos pequenas cestinhas crocantes de frango, milho, cenoura, amendoim e curry, outra dica da irmã.

Mas nada, nada mesmo se compara à emoção de comer Mandiopan.

Se vc tem mais de 40 anos deve se lembrar desta iguaria que dominava as cozinhas cariocas. Se não conhece, vale a pena conhecer esta massa de arroz frita e salgada, servida à minuta, no caso do restaurante, com páprika.

O lugar tem ambiente moderno mas é um pouco barulhento, parece um bar da moda com as pessoas falando um pouco mais alto do que se espera em um restaurante.
já a comida é excelente, faz você esquecer o problema do barulho e sair de lá super satisfeito!
Jantar para 2 pessoas com uma garrafa de espumante saiu a 187,00

O restaurante tailandês, que começou sua história em Búzios, aposta na fusão de sabores e na valorização de ingredientes brasileiros. As opções à la carte são mais exóticas, como a entrada cinco sabores da Tailândia, que reúne doce, salgado, ácido e picante: lascas de limão, pimenta dedo-de-moça, cebola roxa, gengibre em tiras, amendoim triturado, coco torrado e lula desidratada. Já o royal pad thai é um prato feito com talharim de arroz, camarão, ovos, amendoim torrado e coentro, temperado com namplá e limão. A carta de drinques tem sugestões como o koh pi pi, uma mistura de rum, goiaba, licor Mandarineto e gelo.

Merece destaque, também, um tira-gosto: o dim sum. São pasteizinhos cozidos no vapor com molho shoyo, gengibre e alho, recheados com camarão, nirá ou porco com cogumelo. De sobremesa, o tartelete de chocolate com cassis e sorvete de creme tem boa saída.

Pesquei na carta de vinhos um rosé super gostoso que desceu redondo e serviu pra dar aquela regulada na lenta e firmar a mão.Ao que tudo indicava, a noite seguiria em alto nível. Já estávamos íntimos dos filhos da Lígia, e já éramos melhores amigos das amigas dela. Porque a Lígia já é praticamente da família. Olha só o prato que ela pediu em homenagem ao Diego: Ped Gluay, um magret marinado em especiarias, grelhado com curry (nham!) de laranja e purê de banana, cebolas crocantes e couve frita. Tem como não amar uma mulher dessas?!

A Rê queria porque queria me imitar, mas não deixei (rá!). Coisas do destino, porque ele estava guardando pra ela uma das melhores surpresas da noite (além da Lígia querida – um beijo pra ti! -, da gentileza do Thiago e do meu prato): Mee Krob, um macarrão de arroz frito crocante com frango, camarão, lombinho de porco, moyashi e molho agridoce, salpicado de cebolinha verde. Moyashi.

Taí um lance que descobri agora e que vou passar a incluir até mesmo nas minhas sobremesas.Eu tava num tremendo de um dilema. Porque avisei o Thiago que nunca antes na história desse país consegui ir num Thai e não pedir um Pad Thai. Disse isso pro cara, esperando que ele me desse uma luz, mas ele (graças a Deus) me empurrou com tudo pro Royal Pad Thai.

Alô Thiago Sodré, se um dia por ventura vieres a ler esse humilde relato do início de uma bela amizade que deu o primeiro passo no teu restaurante, quero que saibas que o nome do meu primeiro filho será Royal Pad Thai em tua homenagem. Abraço, Diogo.

A gente já estava megasatisfeitos. Mas pra adiar cada vez mais a hora de ir embora, pedimos um docinho. Primeiro um Thai Coconut Mango, um sorvete de coco com um leque de manga coberto com calda de tangerina, flocos de coco torrado e gergelim.Depois, mais uma né: rolinhos de goiabada ao molho de amendoim e sorvete de limão. O molhinho de amendoim era digno de tomar de canudinho, bem como aquele agridoce picante dos camarões empanados.Hora do tchau.

A Lígia nos entregou caixas e caixas de presente, pra todo o mundo: Diego, Lela, Sâmia, pra mim e pra Rê. Até pro Geraldo sobrou. Nem merecia, mas ganhou. E como se não bastasse, ela cometeu a petulância de pagar a conta. Cara, ela movimenta o blog, comenta, responde pras pessoas por nós, reserva o Sawasdee, o melhor Thai do Rio e um dos melhores do país, faz o coitado do Thiago Sodré perder a folga dele, nos dá presentes e mais presentes, e ainda por cima me olha feio dizendo que a conta é dela? Não temos nem palavras pra te agradecer. Sério.

Pra completar toda essa farra, só diz aí pra gente quanto deu essa conta? Faz parte do jogo, baby!

Ao que tudo indicava, a noite seguiria em alto nível. Já estávamos íntimos dos filhos da Lígia, e já éramos melhores amigos das amigas dela. Porque a Lígia já é praticamente da família. Olha só o prato que ela pediu em homenagem ao Diego: Ped Gluay, um magret marinado em especiarias, grelhado com curry (nham!) de laranja e purê de banana, cebolas crocantes e couve frita. Tem como não amar uma mulher dessas?!

A Rê queria porque queria me imitar, mas não deixei (rá!). Coisas do destino, porque ele estava guardando pra ela uma das melhores surpresas da noite (além da Lígia querida – um beijo pra ti! -, da gentileza do Thiago e do meu prato): Mee Krob, um macarrão de arroz frito crocante com frango, camarão, lombinho de porco, moyashi e molho agridoce, salpicado de cebolinha verde. Moyashi.

Taí um lance que descobri agora e que vou passar a incluir até mesmo nas minhas sobremesas.Eu tava num tremendo de um dilema. Porque avisei o Thiago que nunca antes na história desse país consegui ir num Thai e não pedir um Pad Thai. Disse isso pro cara, esperando que ele me desse uma luz, mas ele (graças a Deus) me empurrou com tudo pro Royal Pad Thai.

Alô Thiago Sodré, se um dia por ventura vieres a ler esse humilde relato do início de uma bela amizade que deu o primeiro passo no teu restaurante, quero que saibas que o nome do meu primeiro filho será Royal Pad Thai em tua homenagem. Abraço, Diogo.

A gente já estava megasatisfeitos. Mas pra adiar cada vez mais a hora de ir embora, pedimos um docinho. Primeiro um Thai Coconut Mango, um sorvete de coco com um leque de manga coberto com calda de tangerina, flocos de coco torrado e gergelim.Depois, mais uma né: rolinhos de goiabada ao molho de amendoim e sorvete de limão. O molhinho de amendoim era digno de tomar de canudinho, bem como aquele agridoce picante dos camarões empanados.Hora do tchau.

A Lígia nos entregou caixas e caixas de presente, pra todo o mundo: Diego, Lela, Sâmia, pra mim e pra Rê. Até pro Geraldo sobrou. Nem merecia, mas ganhou. E como se não bastasse, ela cometeu a petulância de pagar a conta. Cara, ela movimenta o blog, comenta, responde pras pessoas por nós, reserva o Sawasdee, o melhor Thai do Rio e um dos melhores do país, faz o coitado do Thiago Sodré perder a folga dele, nos dá presentes e mais presentes, e ainda por cima me olha feio dizendo que a conta é dela? Não temos nem palavras pra te agradecer. Sério.

Pra completar toda essa farra, só diz aí pra gente quanto deu essa conta? Faz parte do jogo, baby!
Foto opinião do diogo c. sobre Sawasdee Bistrô

Restaurante com delícias no melhor estilo Thai. O ambiente é muito charmoso, atendimento impecável, e o banheiro, tenho que falar, muito limpo e cheiroso. A varanda externa é um ambiente muito bom, que te permite acompanhar o vem e vai da Dias Ferreira. O cardápio indica com o símbolo de um foguinho o quão picante é o prato... se você não for um louco por pimenta, sempre peça o prato com 1 foguinho, para mim é na medida e mesmo se o prato tiver o símbolo de 2 foguinhos na frente, você pode pedir que o chef o faça com 1 só. Os pratos atendem todos os gostos, tem peixes, frutos do mar, carnes, aves, são bem variados e muito bem servidos, dá até para dividir. Não podia deixar de comentar que eles te oferecem na entrada uma cestinha de mandiopã com páprica, perfeito!E aproveite as sobremesas também, deliciosas.

Ótimo restaurante Tailandês, o Sawasdee, depois de anos de sucesso em Búzios, veio se estabelecer no Leblon – Rua Dias Ferreira, e posteriormente para o Shopping Fashion Mall.

Comandado por pai e filho, o restaurante tornou-se passagem obrigatória dos apreciadores de comidas asiática, simplesmente uma orgia gastronômica!!!

O restaurante prima por eficiência, desde a atenção dos seus funcionários à qualidade dos pratos servidos, todos sem exceção de um sabor digno de ser degustado por um rei.

Tive o prazer de conhecer o Thiago, filho do chef Marcos Sodré, em uma de minhas várias visitas a casa, e realmente posso dizer que se trata de uma pessoa super simpática e competente, já deixei que ele me surpreendesse com o prato a ser servido e não me arrependo, foi sensacional!!!

O ideal é ir sem pressa e degustar um pouquinho de cada maravilha que a casa possui, simplesmente demais!!!

Sucesso absoluto desde sua inauguração, a casa vive cheia, vale a pena fazer uma reserva para não ficar de fora.

Estive no restaurante tailandês Sawasdee, no Leblon, com o background de ter conhecido outros pratos tailandeses em restaurantes como o Nam Thai e o Opium, fato que me ajudou a ter um parâmetro para comparação.

Apesar da varanda ser um lugar muitas vezes mais agradável do que o salão interno, este não me parece ser o caso da varanda do Sawasdee. Ela fica muito próxima à rua, onde as pessoas passam e onde os clientes aguardam na fila esperando por uma mesa vaga. Eu e minha mulher tivemos que esperar cerca de 40 minutos, sentados nos bancos do lado de fora, de onde era possível já pedir algum petiscos e bebidas. Mas não fizemos isso e optamos por esperar a mesa.

Quando entramos, sentamos próximo à janela, com vista para a varanada e para a rua. Lugar confortável! Fomos atendidos por uma mulher rápida, que se virava pra dar conta do salão que, apesar de pequeno, estava cheio.

A entrada ficou por conta dos Pasteizinhos de shimeji, shitake, nirá e queijo de cabra - R$ 23,00. Eles vieram meio retorcidos, com visual esquisito. Devo me atentar para não pedir coisas com queijo de cabra. Descobri recentemente que não gosto desse queijo e pude confirmar com essa entrada do Sawasdee. O queijo tem um cheiro/gosto muito forte do "animal" cabra. É sério! Não recomendo.

Tomamos um vinho que tinha um bom preço, mas não ficamos encantados com o seu sabor. Ele era mais amadeirado e seco. Foi o Caligiore Malbec 2008 - W&S 91 (Mendoza, Argentina) - R$ 59,00.

Os pratos foram o Gai Mamuang - Lâminas de peito de frango ao molho de ostras, castanha de caju, cebola e tomates, acompanhado de macarrão de arroz frito crocante, salpicado de alho torrado e cebolinha verde - R$ 49,00; e o Nua Pad Nanman Hoi - Filet Mignon em fatias refogado ao molho de ostras, com legumes verdes, salpicado de alho torrado e coentro - R$ 55,00.

O de carne é melhor que o de frango. O primeiro é gostoso, com mistura diferenciada. O segundo é menos e estava bem salgado. Em termos de quantidade, se você tiver comido uma entradinha caprichada, é possível que um prato desses dê para duas pessoas, principalmente se for o Nua Pad Nanman Hoi.

De sobremesa, comi uma bem tropical que parecia mais brasileira do que tailandesa. Foi o Thai Coconut Mango - Sorvete de coco com leque de manga coberto com calda de tangerina, flocos de coco torrado e gergelim - R$ 18,00. Petitoso, né?

De forma geral, gostei mais da experiência que tive no Nam Thai do que esta no Sawasdee. O ambiente deste talvez seja até melhor, mas a comida do Nam Thai me disse mais ao paladar. Mas não estão distantes um do outro. Nem fisicamente. Eles ficam próximos um do outro e vocês podem visitar os dois pra tirarem a dúvida. O cardápio oferece opções de pratos vegetariano para os adeptos.

Leia mais: http://restaurantesdorio.com.br/restaurante-sawasdee-lebon/
Exibindo 14 opiniões | Total de 15 opiniões
Você conhece o Sawasdee Bistrô? Escreva uma opinião! Dê sua nota! Nota geral
Passe o mouse pelas estrelas clique para dar nota

Opinião
Para enviar fotos ou preencher os campos adicionais, faça seu (Você não perderá a opinião escrita)

Baixe grátis o app do Kekanto Escolha sua plataforma: