Restaurante de cozinha contemporânea, o Epice é comandado pelo criterioso e detalhista chef Alberto Landgraf. Em seus pratos, encontramos opções como robalo, pé de porco, peito de pato e pescoço de cordeiro acompanhado de berinjela laqueada, cebola assada e carne seca. O ambiente é pequeno, mas charmoso. Oferece menu executivo de 3ª a 6ª que inclui couvert, entrada, principal e sobremesa.

Avaliar
Salvar
Compartilhar
Oferta

Quer receber ofertas do(a) Epice?

No Kekanto os donos de estabelecimentos podem publicar cupons de descontos para todos os seus consumidores.

Baixe grátis nosso aplicativo e confira as ofertas:

Escolha seu celular:      
Divulgue seu estabelecimento aqui
Saiba como
Dicas rápidas Ver todas as dicas
avaliações recomendadas
Nosso sistema de inteligência artificial recomenda automaticamente as opiniões com maior probabilidade de serem relevantes a você. Ele leva em conta diversos fatores como, por exemplo, a qualidade de texto e fotos, e o histórico de publicações do autor. Apenas as avaliações recomendadas são levadas em conta na avaliação geral do estabelecimento.
   
Selecione uma nota

via iPhone

Restaurante do jovem chef Alberto Landgraf que tem uma estrela na edição 2015 do famoso guia francês Michelin. Para o jantar, há um menu degustação com 10 pratos ao custo individual de R$ 320,00. Mas também há opções a la carte em uma carta enxuta que tem um couvert, sete entradas, seis pratos principais e quatro sobremesas. La pièce de resistance da casa é o pé de porco. Preferi outras iguarias. Comecei com uma batata doce assada, passando por uma costela de leitão assada e terminando com um sorvete de milho verde, suco de cerefólio e farelo de rapadura. Tudo com lindo visual e sabores sensacionais. A mescla de texturas e sabores é um ponto alto deste pequeno e aconchegante restaurante na capital paulista.

Compartilhar experiências reais é nosso objetivo. São filtradas resenhas spam, ofensivas, que não se refiram ao local ou que sejam/pareçam resultado de conflito de interesse.

Especialista em Restaurantes Contemporâneos com 21 opiniões na categoria

Milésima resenha em mil caracteres sobre um local especial que queria conhecer há muito tempo! Começamos com uma garrafa de Painter Bridge sugerida pelo atencioso metri. A uva é Zinfandel da California e o vinho é tão leve quanto um pinot noir ($82).

De entrada a Charcuterie que serve duas pessoas ($51) e vem com terrine de joelho de porco, peito de pato curado, mousse de froie gras, porco empanado, chutney de cebola e pain poilâne. Achei o conjunto extremamente forte e o destaque fica para o pain que é uma espécie de torrada finíssima e o para cebola. Eu deveria ter pedido o Ovo 64ºC, mas fica pra próxima.

De prato principal pedi o pargo com emulsão de mexilhão que estava perfeito: Bonito, suave e saboroso ($71). Experimentei o polvo grelhado ($81) e achei sensacional: casca crocante com sabor grelhado, macio por dentro e cores vibrantes.

Para finalizar um doce muito bom de Morango (R$ 29) com sorbet, merengue de baunilha, vinagre de mel, panna cota de chocolate branco e chá verde.
Polvo Grelhado R$ 81
"Polvo Grelhado R$ 81"

Aberto a menos de 2 meses o Epice já está com tudo. Serviço de primeira, ambiente com pouca luz e super aconchegante (só é ruim para as fotos!)

couvert (pães divesos, manteiga, azeite e sal). Para acompanhar pedimos um Villard - cabernet sauvignon – Expresión Reserve 2006. De entrada pedimos a Charcuterie (terrine de joelho de porco, peito de pato curado, rillete de porco, remoulade de couve flor, mousse de fois grãs, pain poilâne, porco empanado e chutney de cebola roxa). Excelente, os que mais gostei foi o peito de pato curado, a mousse de fois gras, a pata de porco empanada(foto) e o chutney de cebola roxa

Fiquei tentada a pedir, mas minha mãe acabou pedindo o magret de pato (magret de pato, lentilhas de puy, cebolada caramelada, couve manteiga e jerez). Sou super fã de magret, o pato estava bem bom, mas acho que ficou devendo no molho e no acompanhamento

A Juli pediu entrecôte (entrecôte “Aberdeen Angus”, purê de batata, cenoura amanteigada, molho de fois gras e vinho tinto). Eu não pediria um entrecôte por achar um prato muito simples, mas ai que foi a surpresa, achei excelente! A carne estava surpreendentemente macia, e o purê então, deliciosíssimo!!

Meu pai pediu o porco (barriga de porco, grão de bico, chorizo, páprica e azeite de chorizo). Bem eu adoro porco, com gordura e aquela casquinha crocante! Só não curti muito o grão de bico

Eu pedi cordeiro (carré de cordeiro, tortellini de cordeiro, purê de figo, echalotes sauté, picles de berinjela, figo confit e vinho do porto). Gostei muito!

De sobremesa pedimos abacaxi (ravióli de acabaxi, mousse de coco, sorbet de abacaxi e tuille de abacaxi). Meu deus, achei a tuille de abacaxi fantástica! E morango (morango macerado, vinagre de mel, chá verde, panna cotta de chocolate branco e sorbet de morango). Adorei a panna cotta de chocolate branco

O restaurante é moderninho e pequeno, portanto recomendo fazer reserva. Achei excelente o custo/benefício, muito bom e os pratos ficam na faixa de R$30-R$60

!
Foto opinião do Tatiana Campêlo e Silva sobre Epice

Aproveitei uma ida a trabalho para São Paulo e elegi o Epice para conhecer, depois de ter lido tão bem sobre o restaurante em diversos lugares.
Os pães do couvert são bem gostosos e valem a pedida. As entradas que provei decepcionaram bastante e foram o ponto fraco do jantar. Provei o “gnocchi de abóbora, abóbora sauté, shimeji, gelatina de parmesão, creme de abóbora e amendoim“ e a “mandioquinha assada, tutano de wagyu, suco de agrião e farelo de avelã“.
Os pratos principais que pedimos estavam muito bons. O meu foi o “confit de paleta de leitão, abóbora japonesa, lasanha de leitão e leite de amêndoas“. Combinação diferente e bem executada. Só achei que a espuma não acrescentou ao nada. Me pareceu mais decorativa do que de fato um item a agregar sabor ao prato.
Nas sobremesas não gostei tanto do “sorbet de chocolate, beignet de banana caramelada, gelatina de Jack Daniel’s com mel e cacau moído“. Já o “ravioli de abacaxi, mousse de coco, sorbet de abacaxi e tuile de abacaxi” foi sensacional. Muito leve e refrescante.
Um bom restaurante, com pontos a melhorar.
Para fotos e mais detalhes, veja no meu blog: http://doqueeupreciso.com.br/gastronomia/gastronomia-epice-por-albert-landgraf

Especialista em Restaurantes Contemporâneos com 34 opiniões na categoria

O Restaurante Epice tem uma boa relação custo-benefício para um restaurante do segmento mais "Trendy". É relativamente novo e o ambiente é aconchegante (não é muito grande; deve acomodar umas 35 pessoas) e bem decorado sem excessos.

O cardápio é enxuto com opções de peixe, risoto, e carnes. Os pratos são feitos com bastante capricho e tem um visual muito bom. Provamos o Risoto de Lagostin, a Barriga de Porco e a Vitela. Estavam todos muito bons. A Barriga de porco é muito bem feita e sai com 3 camadas bem distintas que juntas ficam muito boas - uma superfície crocante, a gordura e a carne. Não é um prato super leve e vem na medida para não se tornar enjoativo. As porções são de tamanho francês, o que deixa espaço para a sobremesa. Nessa altura, provamos o Tartin de maçã, a sobremesa mais popular segundo o garçon. Realmente muito boa.

O atendimento foi impecável. O staff está muito bem preparado.

Fomos em três gastamos por volta de R$70/pessoa (sem entrada, prato principal, dividindo a sobremesa e sem vinho). Justo.

Há estacionamento vallet por R$15

Faça reserva pois o local é pequeno e lota facilmente

O Chef, apesar do sobrenome Landgraf, está mais para japonês do que para alemão =). Mestiço de Maringá que curte beisebol não poderia ser diferente.

Atualmente o tempo não está passando pra mim, mas voando. Mas apesar da correria, separar um tempo para fazer uma ligação, marcar um programa, me arrumar e sair para jantar faz compensar a semana que passou pra começar a seguinte (mais uma vez me vejo deixando acumular os posts para serem publicados). Comer bem é mais que simples necessidade fisiológica, também é alimentar os sentidos, ainda mais quando se trata de ir em um restaurante novo. Cada restaurante novo que conheço, é como se estivesse conhecendo uma pessoa pela primeira vez. Fui conhecer o Epice… já ouvi falar dele por aí, mas quis me apresentar pessoalmente.

O lugar é pequeno, não acomoda muitos, mas tem um ambiente familiar…As luzes são baixas à noite. Fazer reserva é uma dica.



Desde que sentamos à mesa, os garçons foram muito atenciosos com a gente. Não é em todo lugar que vemos garçons desinibidos e naturalmente bacanas, sem trazer aquela estranha sensação de eu-sou-cliente e o garçom-me-serve-com-maneiras. Tinham a educação da experiência, sabiam conversar, sugerir…só faltava um deles se acomodar à mesa e conversar sobre a vida.

Couvert (R$10,00) pãezinhos quentinhos…com manteiga, flor de sal e azeite.



De entrada, Carpaccio de Entrecôte (R$23,00) com ovo de codorna poché, frisée, queijo padrão Roni e azeite seco. Gostei muito, especialmente do ovo poché. Lembro até hoje da textura aerada do prato, super leve.



Outra entrada foi a Vieira (R$ 29,00), grelhada, com feijão corado sauté, creme de feijão corado e limão siciliano. Muuuito bom! Adoro vieiras, e este prato estava combinando bem.



De prato, o Robalo (R$56,00), com farofa de amêndoas, purê de limão, alho poró, cerefólio e molho vierge, um tipo de molho de ervas. Gostei. O purê de limão é ‘o’ purê, o sabor é cem porcento, e faz a sua presença no prato.



Outro prato foi a Vitela (R$51,00) com gnocchi de semolina e cogumelos. Aprovei! O nhoque de semolina estava uma coisa.



De sobremesa,Morango. Morangos macerados, sorbet de morando, pannacota de chocolate branco e tuille. Gostoso, refrescante, mas achei o chocolate muito duro, além de não ser muito fã de chocolate branco.



Já no final do jantar, notei que o salão estava barulhento demais e mal conseguia conversar à mesa. Mas a culpa não é deles, claro… Mas se estava barulhento, ô se estava.

Do resto, gostei de conhecê-lo, Epice. Nos encontramos numa próxima!
carpaccio
"carpaccio"

Numa comemoração especial, fomos ao Epice, tão conhecido pela gastronomia.
Um ambiente bem calmo, restaurante pequeno, aconchegante e elegante! Atendimento excelente... nem vimos o tempo passar.

Uma carta de vinhos ótima, atencioso metri nos recomendou um californiano de uva Zinfandel: muito bom, leve! Meias garrafas quase a preço de uma garrafa inteira.

De entrada a Charcuterie que serve duas pessoas ($51) e vem com terrine de joelho de porco, peito de pato curado, mousse de froie gras, porco empanado, chutney de cebola e pain poilâne.
Resumindo, não sei se é o meu paladar "fraco" ,mas fiquei impressionada (não para "que delícia") por um prato conter tanta coisa gordurosa ao mesmo tempo (experimentei todos, mas gostei da cebola) e o destaque foram as fatias de pão que são extremamente finas. Definitivamente essa não é a minha entrada,mas queria mesmo experimentar os ovos 64 graus. Boa desculpa para voltar, não?

Para o prato principal pedi o polvo grelhado com pinoli, e estava excelente!!!! Uma textura ótima, macio, mas achei bem caro para 2 tentáculos ($81). Preço da alta gastronomia né?!

A sobremesa de morango estava excelente também. O merengue estava muito bom, derretendo na boca. E o sorbet muito gostoso!.

Ambiente excelente, Pratos maravilhosos com apresentação nota 10 (ou 5 estrelas)
Vou desconsiderar a entrada já que tem muitos comentários a favor (deve ser o meu paladar....rs).
O preço é alto, mas a qualidade é visível.

Estava perto e resolvi comer de novo no Epice essa semana, almoço executivo ( a vantagem de estar sempre nessa região é que no almoço sobram opções).

A comida é bastante boa, e vem em boas porções no executivo. O couvert é bastante bom também, os pães são caseiros o que da um toque legal. A água é cortesia. Os vinhos em taça ( estava sozinho ) não tem muitas opções e são salgadinhos pros rótulos, mas bem perto de justo o custo beneficio.

Enfim, preciso ir a noite e com mais pessoas, pois a carta de vinhos é interessante. Sugiro para o almoço de quem passar por la de segunda a sexta, da um animo pra voltar pras tarefas e o preço, para região e pela entrega, justíssimo.

No início de um estabelecimento gastronômico é comum ler sobre deslizes e recomendações de ajustes, seja na cozinha ou no atendimento.

Quando li a primeira vez sobre o restaurante Epice fiquei interessada em conhecer e depois, diante de diversos textos extremamente positivos e sequenciais, fiquei curiosíssima.

O restaurante é pequeno, uma caixa retangular, com decór minimalista e agradável. O atendimento simpático e a comida, de fato, muito, muito boa com um tipo de refinamento e cuidado que não se vê facilmente. E quando se vê, custa bem mais caro do que o justo cobrado ali.

Os pães em formatos mini são feitos na casa e estavam gostosos mas eu comecei me divertir a valer foi com a entrada. As entradas, assim como as sobremesas, levam o nome do ingrediente principal do prato, no nosso caso, abóbora. Adoro abóbora e estava ótima, com crocantinhos que contrapunham a maciez do pure e gelatina de parmesão. Nahmmmy.

Meu principal foi um robalo com alho poró assado e uma farofinha de amêndoas sensacional. Delícia, delícia, delícia!

Fábio pediu cordeiro com mini alcachofras que também estava bem bom. Não posso deixar de falar sobre a apresentação dos pratos, tudo muito caprichado e lindo. Porque assim, o que se come com os olhos, se come duas vezes…. e com muito mais prazer! :)

Para sobremesa escolhi abacaxi, que é composto de abacaxi em diversas texturas: um chips finíssimo e crocante, ravioli de abacaxi com recheio cremoso da própria fruta, sorbet de abacaxi e mousse de coco.

O jantar transcorreu somente com pontos altos, tudo perfeito, delicioso. Achei o fato de servirem água filtrada com ou sem gás como cortesia muito simpático. :)

Entro para a lista dos apreciadores e recomendo fortemente um jantarzinho especial no Epice, afinal, se o restaurante continuar com esse padrão de cuidado e qualidade, todos os jantares lá serão especiais.
Foto opinião do Karine Mariath sobre Epice

No caminho para o Epice, li a crítica sobre o restaurante no blog Boteco do jb. Quem conhece esse blog, sabe como é difícil um restaurante (principalmente os que estão em evidência) receber bons comentários do JB. O post, no entanto é só elogios. Fiquei super animada - e com expectativas altíssimas.

Apesar de eu estar chatinha no dia e ter reclamado de quase tudo (até recebi o apelido de Ruth Reichl), eu adorei o restaurante. Sem dúvida foi o melhor de 2011, e todos os prêmios que o restaurante e o chef Alberto Landgraf receberam no ano foram mais do que merecidos.

O couvert é interessante: eles servem bons pães acompanhados de água numa jarrinha durante todo o jantar. Só conhecia o Le Jazz que fazia isso, e logo de cara o Epice já ganhou pontos. Mas, se for pra escolher entre pedir o couvert ou pedir uma entrada, sugiro se aventurar nas entradas. Alguns pratos do cardápio tem um ingrediente principal que é servido em diversas texturas e é o caso do excelente nhoque de abóbora com abóbora sauté e gelatina de parmesão.

Um dos pratos mais atraentes é o polvo cozido em baixa temperatura, gateau de batata, tomate confit e pignoli. Pra quem gosta de polvo essa é a melhor pedida!

Eu comi o robalo com farofa de amêndoas, purê de limão e alho poró. Instruída pelos garçons super bem treinados, provei antes de tudo o purê de limão siciliano - MEU DEUS, é maravilhoso. (A foto ficou muito ruim - vou começar a trocar meus jantares românticos por almoços românticos).

Para finalizar, seguimos a sugestão do garçon: "Você vai querer a sobremesa excelente ou a sensacional?" Ficamos com a "sensacional", que é a tarte tatin premiada como melhor sobremesa de São Paulo. De fato, a torta é excelente (e gigantesca), mas não achei a melhor sobremesa de São Paulo. O suflê de goiabada do Carlota ainda é minha preferida.

Os preços estão mais inflados do que os que estão no post do JB. Mesmo assim, achei justo pela qualidade (dos ingredientes, da inovação e do serviço). A conta, com vinho, couvert, entrada, pratos principais e sobremesa ficou em R$ 150 por pessoa. Vale a pena. Vai lá!

Lugar fantástico. Ambiente pequeno, com poucas mesas

O chef Alberto Landgraf oferece um cardápio enxuto, contribuindo para uma melhor qualidade na preparação e ingredientes. Provavel herança de quando trabalhou com o famoso chef Gordon Ramsay.

O almoço durante semana é espetacular. Todas as vezes que fui, os pratos me surpreenderam pelo sabor e apresentação. Não sei como está o preço agora, mas há cerca de um ano comia-se excelentemente bem por módicos 39 reais, que incluia couvert de pães caseiros, entrada, prato principal e sobremesa. Todo dia o cardápio muda e sempre da 2 opções pra cada prato. Ah, e a água, tanto natural como com gás, é de graça!

Mesmo no jantar e fim de semana, o preço é totalmente justo, ao contrario de casas proximas que cobram o dobro e não oferecem nem 1/4 da qualidade (paris 6, por exemplo).

O atendimento é muito bom, com garçons extremamente capacitados e sem exageros.

Recomendo a charcuterie de entrada e a barriga de porco. Ainda voltarei la para testar o menu degustação.

Realmente um excelente restaurante para se jantar!!! Valet na entrada de R$ 15,00. Tomar cuidado para não passar, pois a frente é bem discreta, o ambiente pequeno e muito agradável e confortável!!! Como são poucos lugares, vale a pena reservar antes para não ficar esperando. Se não fez reserva, você vai conseguir lugar se chegar no momento que abre as 20h!!! Logo de cara, já se vê que o chef Alberto Landgraf, um dos pupilos do Gordon Ramsay seguiu boas regras do renomado chef britânico, o ambiente e o cardápio enxuto, não tendo uma extensa lista que você se perde e desse modo mantém a qualidade de todos os pratos!!! O chef Landgraf ficou 6 anos entre França e Inglaterra aprendendo tudo o que há de melhor mesmo!!! O couvert continua R$ 10,00 por pessoa e vem 4 pães diferentes bem saborosos. Você pode pedir água importada ou simplesmente da casa ou 'tap water' com ou sem gás (não é cobrado)!!! De entrada, vieiras...a última vez que experimentei vieiras tão macias e saborosas foi no Japão, um espetáculo!!! Uma mistura de sabores azedo, doce, salgado, assim como o prato principal, o robalo. Inicie com o purê de limão para limpar o paladar e deguste o robalo com a farofa maravilhosa de amêndoas!!! Excelente prato!!! Outro prato muito bom foi o polvo grelhado com batatas e tomates temperados!!! De sobremesa, o tarte tartim com sorvete de baunilha foi maravilhoso, acho que o melhor que provei até hoje!!! O único detalhe é que serve 2 a 3 pessoas, logo, veja direito se vai dividir com alguém!!! Voltarei com certeza!!!

Estive no Epice na ultima terça e foi uma Otima surpresa, não conhecia o local, e fomos por indicação do casal de amigos que estavamos juntos. O Local é pequeno, porem com uma decoração de muito bom gosto, realmente muito bonito mesmo, fomos atendidos por um Garçon figurassa e muito competente que a todo tempo interagia sobre as bebidas e sobre as entradas e pratos...
como Vinho escolhemos um excelente pinot Frances da regiao da Borgonha. Recomendo!
De entrada escolhi Vieiras e de prato fui no cordeiro, tudo estava Otimo!
Achei o preço do lugar bem acessivel para o nivel apresentado. Vinhos tb dentro do preço justo!
Aprovado e com certeza voltaremos!
Exibindo 14 opiniões | Total de 16 opiniões
5 opiniões não são recomendadas
Você conhece o Epice? Escreva uma opinião! Dê sua nota! Nota geral
Passe o mouse pelas estrelas clique para dar nota

Opinião
Para enviar fotos ou preencher os campos adicionais, faça seu (Você não perderá a opinião escrita)

Baixe grátis o app do Kekanto Escolha sua plataforma: