Portal da Coreia

Restaurante coreano com ótima comida e ambiente mais requintado que a maioria que a média
nota 3.9 de 5 em 31 opiniões
| 3º melhor em Restaurantes Coreanos de São Paulo   3º melhor em Restaurantes Coreanos de São Paulo

O Portal da Coreia é um restaurante especializado na típica gastronomia coreana. Dentre as muitas opções, as pedidas são escolher o bibimbap, uma espécie de risoto e o bul go gui, um tipo de churrasco coreano. Eleito o 3º melhor restaurante Coreano de São Paulo, pelo Guia Kekanto.

Divulgue seu estabelecimento aqui
Saiba como
Dicas rápidas Ver todas as dicas
avaliações recomendadas
Nosso sistema de inteligência artificial recomenda automaticamente as opiniões com maior probabilidade de serem relevantes a você. Ele leva em conta diversos fatores como, por exemplo, a qualidade de texto e fotos, e o histórico de publicações do autor. Apenas as avaliações recomendadas são levadas em conta na avaliação geral do estabelecimento.
   
Selecione uma nota
Hoje saí bem frustrado do Portal da Coréia, o qual sempre tive em mente um excelente restaurante coreano. Há uns 50 dias, fui no Bicol por indicação de uma moradora do meu prédio, apesar de ter planejado ir ao Lua Palace num domingo, porque o Portal não abre aos domingos.
Bem, hoje pensei, vai ficar muito bom! Não foi bem assim, os valores dos pratos aumentaram, não muito, creio que na faixa de 20% ou menos, mas agora os acompanhamentos extras e o arroz extra, são cobrados, não pode mais repetir, então dessa forma, o aumento supera tranquilamente os 20%, e ainda isso foi lembrado pelo garçon ao pedir. Um deles, disse que apesar de constar no cardápio, a dona não cobra, não foi o que aconteceu, eles cobraram, mas mesmo assim aceitável, uma vez que consta no cardápio.
O outro ponto negativo, foi no meio da refeição acabar o gás, e como estávamos instalados no andar superior, os garçons não ficam circulando, tive de descer para solicitar, o mesmo aconteceu com a mesa vizinha. Outro ponto negativo, foi o artefato que utilizado para grelhar/cozinhar as carnes, o modelo utilizado, não tinha liquido na parte de cima, e como pedimos panceta, sobrou muito óleo que começou a pipocar e atingir nossas mãos, o que causou desconforto.
No momento, não pretendo retornar, apesar de toda a simpatia da Regina, vou conhecer melhor seus concorrentes.
Compartilhar experiências reais é nosso objetivo. São filtradas resenhas spam, ofensivas, que não se refiram ao local ou que sejam/pareçam resultado de conflito de interesse.

Escondido na Rua da Glória, o Portal da Coréia é um restaurante exótico para os brasileiros e que permite apreciar um pouquinho da culinária dessa terra distante. Muito bem decorado e indicado em guias locais, jornais e revistas, vim com meu amigo de infância Leonardo, que acabara de voltar de intercâmbio da Coréia do Sul.

No início, estava meio deslocado porque o Leo conversou com a nossa atendente apenas em coreano (a sensação de não saber o que estão falando é um tanto desconfortável). A pronúncia de muitas palavras é bem distinta da forma aportuguesada que pode ser vista no cardápio (há fotos dos pratos e uma descrição em português para ajudar, ufa!), e para dificultar ainda mais, eles conversavam sorrindo, sem mostrar nenhuma intenção. Depois da recepção, a atendente mudou o idioma e foi muito simpática, mostrando várias opções e alertando sobre os pratos mais picantes (Gochujan, a pasta bem vermelha). Depois de ouvir sobre o Kekanto, ela ainda me convidou para tirar fotos do acervo do espaço (vários quadros, esculturas e adereços coreanos) e a visitar o espaço superior, que em dias mais lotados, abriga mais pessoas e principalmente, reuniões de negócio. Todas as mesas são equipadas com exaustores e fornos a gás, a impressão é de que não estamos mais no Brasil, tal é a concepção do local. A iluminação é feita por spots de led e em nenhum momento é exagerada, além de refrigeração confortável.

Pedimos o menu de família (estávamos em 4) que incluía quatro porções de carne e uma sopa (virou duas porque o Leo impressionou com o coreano), além de todos os complementos que são cortesia da casa e podem ser repostos a qualquer momento: arroz, acelga fermentada (chama-se kimchi e cuidado, é apimentada!), moyashi (broto de feijão) e espinafre. O preço resultava 140$ e vale a pena, pois serve mais do que suficiente. Há opções mais baratas se você pegar apenas um prato (cerca de 22$), mas estávamos para experimentar.

Optamos pelo bulgogui (24$) e pelo Samgyeopsal (22$), respectivamente, contrafilé cortado e temperado que você mesmo prepara no forno e as pancetas de porco que você faz na manteiga. Ambos estavam uma delícia! Escolhemos ainda a Denjanchigue e Gochujanchigue (ambas saem individualmente por 22$), duas sopas sendo a primeira com carne de porco, vongoli, mexilhão, cogumelo shimeji, tofu e missô (pasta de soja) e a segunda com lula, legumes, tofu e um molho bem picante! Muitos podem ver os ingredientes e achar meio estranho, mas pode ter certeza de que não vai se arrepender!

De todos os pratos que provei, gostei mais do Bulgogui e deixo a dica de usar e abusar dos molhos e mesmo misturar a carne com a sopa. Vale tomar cuidado para não queimar e não precisa se preocupar que sempre tem alguém de olho para manipular o forno de cada mesa. A atendente é sempre prestativa e pode ser chamada por um botão que na mesa. Apesar de tudo que descrevi aqui, acho que as minhas fotos valem muito mais que mil palavras então, apreciem-nas!
Bulgogi
"Bulgogi"

via Android

Situado na Rua da Glória, é uma porta até que bem discreta e uma fachada que não chama muito a atenção.
Há um espaço um pouco grande lá dentro, mas já ouvi falar que fica um pouco lotado. Quando fui, até que estava vazio. O legal desse restaurante (ou não) é que alguns pratos é você mesmo que faz. O garçom te traz os ingredientes e há uma chapa e um exaustor. Agora você se vira pra fazer do seu jeito. Das duas vezes que eu fui a galera fez bagunça (isso inclui eu). No geral é bem legal, mas você sai um pouco defumado.
Numa das vezes esqueceram de trazer o meu pedido...
A maioria das opções são apimentadas, como a grande parte dos pratos coreanos. Vale a pena ir pra conhecer. Se for pra comemorar aniversário, chegue antes e deixe avisado os funcionários, caso contrário eles não vão gostar muito da ideia de você ficar segurando mesas.
O teto é baixo. Tome cuidado com velas do tipo vulcão!!!

O "13º Jantar Étnico Kekanto - Culinária Coreana" elegeu o Portal da Coreia, no tradicional Bairro da Liberdade, e assim conheci um pouco da culinária dessa cultura oriental.

Ao chegar ao local confesso que me senti privilegiado. Procurava uma vaga e perguntei ao segurança na frente do restaurante que iria ao Portal da Coreia. Na hora ele removeu os cones e liberou a vaga para mim bem na porta (rsrsrrs). Acho que estava reservado para o primeiro cliente que chegasse.

O espaço é confortável, agradável, sem muita sofisticação mas que remete para uma atmosfera coreana. No início me chamou a atenção as mesas equipadas com forno a gás e exaustores (por sinal, bem eficientes).

O cardápio tem muitas alternativas, creio que agrada a todos os gostos. Tanto as entradas como os pratos principais têm opções com carne vermelha, branca ou vegetariana.

Pedi o Cupim Fatiado na Manteiga (R$ 28,00). É uma bela porção de cupim em finas fatias, servido com folhas de alface e um tablete de manteiga. Vêm cruas, o próprio cliente prepara ao seu gosto, bem ou mal passado, com ou mais ou menos manteiga, numa assadeira/chapa redonda própria do forno instalado na mesa.

Também experimentei pequenas amostras de outros pratos, como a torta de frutos do mar, risoto coreano, sanduíche de arroz e filet na folha de alface... Num dado momento do jantar colocaram sobre a mesa uma porção de pequenas cumbucas com porções de diversas cores. São as entradas e acompanhamentos dos pratos pedidos. Vem arroz, porção de tofu, algas, mini peixes fritos, massa com peixe, molho shoyu, etc. Tudo muito bom! Só é preciso ficar atento porque algumas entradas e molhos são bem condimentados.

Para beber uma garrafa de cerveja Brahma (opções: Brahma, Boêmia e Antarctica Original). E no final uma pequena dose de sake de batata, bem suave (quase uma vodka bem leve). A sobremesa foi cortesia da casa, pequenos bolinhos de arroz. Macios, não são muito doces e confesso que não sou muito chegado.

No total, o meu pedido mais a cerveja ficou em R$ 39,60 já com a taxa de serviço. O mais barato dos jantares étnicos até hoje.

O atendimento é ótimo, supervisionado pela simpática proprietária. Aliás, parabéns à D. Regina Hwang e toda a equipe do restaurante. Na FISPAL FOOD SERVICE de 2013 o Portal da Coreia recebeu o "Prêmio Prática 100 Melhores do Brasil". Único representante da gastronomia da Coreia a receber esta premiação e participar da lista dos 100 melhores do Brasil.

Sugestão para a casa: verificar a possibilidade de aceitar o cartão Visa. Muito cliente é pego de surpresa ao saber que a casa não aceita essa bandeira tão comum.

E parabéns ao quarteto que deu vida e organiza o Jantar Étnico, cada vez mais fantástico na sua seleção e organização, possibilitando agradáveis momentos de convivência, descobertas gastronômicas e troca de experiências entre os participantes.

Escolhemos esse restaurante baseados na reviews do Kekanto e não nos arrependemos. Uma das pessoas que estava conosco é filha de coreanos, e ela foi a única que teve algumas ressalvas, mas para as outras pessoas foi difícil ver muitos defeitos.

Pedimos vários pratos diferentes para poder provar um pouco de cada, e saímos todos bem cheios - as porções são bem servidas. Gostamos especialmente do Bibimbap, que é servido num prato de pedra quente (ótimo para queimar a língua, aliás), que nada mais é do que um mexido de frutos do mar, arroz e um ovo cru colocado na hora por cima de tudo: como a pedra está quente, você mexe e o ovo cozinha durante esse processo. É um prato delicioso!

Pedimos o esquema do "churrasquinho coreano", e foi bem gostoso e divertido. O único problema que achei foi que o exaustor me pareceu fraco, então ficamos todos defumados. Tem que tomar cuidado com a manteiga que se coloca na chapa para fritar a carne, pois ela pode espirrar nas pessoas.

Não se esqueça de pedir o kim chee - uma verdura (acelga? repolho?) cozida extremamente apimentada. É diferente do que eu já havia provado em outros restaurantes, mas é interessante. Ela vem como acompanhamento da carne para fritar. Aliás, quando você pede o "churrasco", ele vem com diversas porções pequenas de vários ingredientes gostosos, como arroz, alga, coisinhas fritas, etc.

A panqueca de frutos do mar é uma delícia! É bem grande, serve bem!
Bibimbap (ao centro)
"Bibimbap (ao centro)"
Tive a oportunidade de conhecer esse restaurante que fica perto do metrô São Joaquim. O lugar é muito bacana, possui um bom espaço e tem aquela carinha de coreano.

O Portal da Coreia oferece diversos pratos típicos coreanos, alguns deles são apimentados e outros não, além disso, os preços são bons, achei justo pela quantidade que vem nos pratos.

Como eu não queria me arriscar nos pratos apimentados, resolvi pedi o Bulgogi (R$ 29,00), que é composto por contra-filé temperado, vem com um pouco de arroz, moyashi, tofu, algumas tiras de massa de peixe, uma espécie de omelete, acelga apimentada, peixinho seco, alface e um que não sei o nome.

A maneira correta de se servir o Bulgogi, segundo a proprietária do lugar, é fazer uma trouxinha com o alface, ou seja, pega um pouco de carne assada, um pouco de massa de peixe, por exemplo, arroz e faz um tipo de saquinho. Fica muito bom essa combinação e para acompanhar, pedi um suco de kiwi (R$ 7,00) que estava ok.

No final, provei um pouquinho de uma bebida chamada Soju Clássico (R$ 27,00 a garrafa). Essa bebida é feita com água, destilado de cevada, de batata doce e de arroz. O gosto lembra o sake, mas é docinho só que possui um teor alcoólicos de 20%.

Além disso, tive a oportunidade de comer alguns doces coreanos. O doce que foi servido era uma espécie de moti (arroz com doce de feijão em japonês), mas tem um aroma e alguns desses doces possuíam gergelim e o gosto é bom, pelo menos para mim.

O atendimento do lugar achei muito bom e a proprietária é muito simpática, vale a pena conhecer esse lugar.
Foto opinião do Marcos sobre Portal da Coreia

via Android

Um lugar arrumado, com cara de novo.

A proprietária é muito simpática, sempre com um sorriso no rosto.

O cardápio é bem explicado pois não é daqueles que vc abre e não entende bulhufas pq tudo está em outra língua. Nesse caso, ele já tem a descrição em coreano e em português e o mais importante: tem fotos de alguns pratos!

Decidimos ir à este restaurante pq umas amigas tinham comentado que lá era um dos poucos que vendem Tteokpoki (pronuncia topoki), um moti apimentado.

Como eu nunca tinha comido e curiosa que sou, topei o convite.

Este prato não se encontra no cardápio. Dizem que é por se tratar de um prato de rua (algo como o nosso pastel de feira aqui no Brasil). Então eu liguei um dia antes e pedi para preparem.

Mas a porção não ia dar para servir as 7 pessoas da mesa (surgiram umas pessoas de última hora) então perguntamos se faziam mais uma porção e o garçom disse que sim. Então acredito que há a possibilidade de se pedir na hora.

Em geral: a maioria dos pratos tem pimenta forte daquelas que só arde e vc não sente mais nada. Meus amigos pediram o churrasco coreano. Como não como carne, não sei como é, mas parecia bom. De sobremesa tem sorvete da marca do sorvete Melona, que é coreano.

Não achei nada de extraordinário mas vale pela experiência, pelo ambiente e serviço bom. A conta saiu bem barata: R$33 com comida, bebida, sobremesa e serviço.

Dois pontos negativos: 1 - a conta não tem a descriminação dos itens, vem somente com os valores e 2 - só aceitam DINHEIRO, MASTERCARD ou CHEQUE.

Como eu só tinha Visa, meu amigo teve que pagar para mim.

Interessante restaurante coreano, quase escondido na Liberdade. Você vai na Liberdade e está bem acostumado a encontrar restaurantes japoneses e chineses, mas coreanos não. Esse é uma exceção fora do eixo bom retiro, bem saudável, diga-se.

O restaurante fica numa porta sem número (roubaram o número disse uma das donas) e ao entrar é só surpresas, as mesas contam com um sistema de chapa interna e cada uma com um exaustor ligado ao teto para sugar a fumaça das frituras produzidas no local, bem interessante, mas de gosto duvidoso:

1) O formato é bem interessante para ir de galera, do contrário você fica numa mesa com um trambolho gigante e com poucas pessoas, o espaço se reduz e gera desconforto com a chapa quente por lá;
2) É bem desagradável depois da segunda fritada que você dá, ver a sujeira na chapa e no óleo provocadas pela comida, arghhh, não é muito bonito de se ver, vegetarianos afastem-se!

O atendimento é super gentil e simpático, esclarece as curiosidades e tal, mas o número é reduzido, logo ele não vai demorar muito.

Provei pato, carne suína, bovina, algas, doces, "cachaça" de arroz, "omelete" de legumes e demais acompanhamentos. Destaco o tradicional, o "churrasco" de carne bovina, é o que orna melhor com o formato chapa e acompanhamentos, os demais ou são muito apimentados, ou não rendem na chapa, ou não ficam nada gostosos, como o caso do pato, uma carne de gosto forte para preparo tão simples. Afaste-se da alga!

A aguardente é fraca de teor alcoólico perto das nossas (20%), servem cerveja de garrafa também. As porções vem com vários acompanhamentos e em número grande, mas depois que você vai chapando, vê que não é tanto assim. Vale ir de galera e cada um pedir um prato. As médias de preços são de 30$.

As sobremesas de feijão, não são nem tão doces, nem agridoces, mas vale pedir um pra provar.
A srª Regina Hwang é excelente profissional, deixou a galera kekanteira bem a vontade, sugeriu o formato do pedido para que pudéssemos degustar vários sabores da culinária coreana ao mesmo tempo e muito simpática, que feliz descoberta!
Não é a toa que em 27/jun/13 foi o único restaurante da culinária coreana a receber premiação de figurar entre os 100 melhores restaurantes do Brasil, belo tiro, heim @Luiza Marques, incrível escolha.
Os preços praticados são bem acessíveis, tem as caldeiradas especiais, cujos pratos servem 4 pessoas ou mais, mas creio que serve bem para aqueles bem integrados nesta culinária.
Foi uma bela experiência gastronômica, consumimos carne bovina, porco, lula apimentada, camarões e uma espécie de fritada ou panqueca de frutos do mar, tudo muito gostoso e apimentado.
E o melhor de tudo foi conhecer o pessoal do kekanto em minha primeira experiência em jantares étnicos, a primeira a gente não esquece, a escolha foi perfeita, pois estava curioso em conhecer este restaurante há algum tempo.

Os pratos são vendidos como porções individuais (talvez porque eles reponham tudo menos a carne), no entanto a carne é suficiente para duas pessoas, assim como boa parte das porções que acompanham como tofu, kimchi e alface.

Além do bulgogi experimentei o porco apimentado que realmente é apimentado e um pouco doce também. Não ficou entre os meus preferidos, principalmente por ser difícil de mastigar e cortar. Ganhamos uma tesoura para fazer o último. A costela de boi é muito boa, na minha opinião melhor que o bulgogi.

Não achei todos os pratos apimentados. Alguns são bem suaves. O bulgogi, o prato coreano mais famoso, é exatamente assim.

A sobremesa tem uma cara ótima e pela descição se assemelha muito com moti, doce japônes. Só que a realidade não é bem assim. A massa de arroz que envolve o doce de feijão é meio salgada. Vale a pena experimentar, só não agradou meu paladar de formiga. Para quem quer algo gostoso e sem riscos já um freezer da Melona na saída.

Seguindo o estilo de outros restaurantes coreanos encotrados em São Paulo, a carne é cozida pelo cliente na mesa. A vantagem aqui é que existe um exaustor para minimizar a fumaça e o cheiro, o que infelizmente não evita que o cabelo e as roupas fiquem com aquele cheirinho depois.

O atendimento foi ótimo, a dona é muita simpática e os garçons foram muito prestativos. Uma pena que não aceita Visa.

Fui conhecer esse restaurante através de um evento do Kekanto. Eu nunca tinha provado comida coreana, então eu nem sabia o que esperar.
Bom, como vi algumas resenhas aqui no Kekanto, sugeri pedir um bulgogui, que é um churrasco coreano. O prato individual custa R$ 29,00 e dá pra dividir pra duas pessoas que não estejam com muita fome. Eu achei a carne bem gostosa, e o bacana é que o prato vem com vários acompanhamentos (arroz, além de mais umas coisinhas gostosas). Além disso, experimentei mais alguns pratos das outras pessoas, como risoto e uma lula bem apimentada, mas estava bem gostoso. Se você nunca comeu comida coreana, eu recomendo mesmo o bulgogui, que é uma delícia e tem um tempero super leve.
Acabei levando pra casa um soju (uma bebida alcoólica coreana, tipo saquê, mas um pouquinho mais doce) por R$ 27,00. A bebida é muito gostosa, e pode ser confundida facilmente com saquê, e eu recomendo muito, é gostosinha. =D
Teve uma sobremesa bem bonitinha, eu não lembro os nomes, mas eu não curti muito, rs. Acho que prefiro algo mais doce, mas com o capricho com que eles fazem, dá até vontade de comer.
E o atendimento: eu curti bastante. A dona do restaurante é super simpática, e os garçons são super prestativos, estavam sempre lá quando a gente precisava, e sempre ficavam olhando as mesas pra ver se a gente fazia tudo certinho com aqueles fogõezinhos na mesa...hahaha.
A estação mais próxima é a São Joaquim.
Primeira opinião do lugar

Pra quem gosta da culinária coreano o Portal da Coreia é um ótimo lugar.

Logo na entrada o restaurante tem um portão enorme muito bonito. A decoração interna tão um toque especial ao local.

Vale a pena conferir.
Exibindo 14 opiniões | Total de 32 opiniões
Você conhece o Portal da Coreia? Escreva uma opinião! Dê sua nota! Nota geral
Passe o mouse pelas estrelas clique para dar nota

Opinião
Para enviar fotos ou preencher os campos adicionais, faça seu (Você não perderá a opinião escrita)

Baixe grátis o app do Kekanto Escolha sua plataforma: