Piratininga Bar

nota 3.8 de 5 em 40 opiniões
| Rank: 13º de 74 | Pubs

Inaugurado em 1992, é um bar pequeno e aconchegante. Possui um mezanino com música ao vivo, ideal para os casais. O cardápio é bem variado tanto nas cervejas, quanto em seus deliciosos petiscos. Todos eles trazem porções fartas, muito bem servidas no ponto certo. O bolinho de arroz é uma boa escolha.

Avaliar
Salvar
Compartilhar
Oferta

Promoção

Aniversário: Levando 15 pessoas o Aniversariante e mais um convidado ganha o couvert artístico.

Conheça também Patrocinado
Promova seu negócio no Kekanto e deixe-o em destaque entre milhares de estabelecimentos.
saiba como
Vila do Samba A melhor casa de samba de São Paulo! Vila do Samba A melhor casa de samba de São Paulo!
Divulgue seu estabelecimento aqui
Saiba como
Dicas rápidas Ver todas as dicas
avaliações recomendadas
Nosso sistema de inteligência artificial recomenda automaticamente as opiniões com maior probabilidade de serem relevantes a você. Ele leva em conta diversos fatores como, por exemplo, a qualidade de texto e fotos, e o histórico de publicações do autor. Apenas as avaliações recomendadas são levadas em conta na avaliação geral do estabelecimento.
   
Selecione uma nota

Confesso que parece uma mistura bem engraçada um bar super normal para um happy hour com um sushi bar, mas como bom amante da culinária japonesa gostei bastante de poder comer um sushi em um happy hour. O combinado custou cerca de R$ 60 e dá para duas pessoas. Os donos são bem legais e tem um carro temático que leva o nome no bar que fica parado na frente.
Foto opinião do Bruno Yoshimura sobre Piratininga Bar
Compartilhar experiências reais é nosso objetivo. São filtradas resenhas spam, ofensivas, que não se refiram ao local ou que sejam/pareçam resultado de conflito de interesse.

O nome é uma homenagem ao primeiro nome da cidade, São Paulo de Piratininga. Um bar realmente muito legal, com boa música ao vivo e tem couvert artístico. Petiscos de primeira qualidade. Recomendo os bolinhos de bacalhau e o frango a passarinho, mas não deixe de pedir a Picanha à Piratininga. Na hora de beber, peça às caipirinhas do barman Passarinho. Quando puder conhecer, eu recomendo.
Entrada
"Entrada"
Fui à primeira vez pelo restaurante esse fim de semana. Fomos em dois carros, e logo de início já percebemos que a rua, assim como os arredores, são extremamente movimentados, tornando não apenas difícil estacionar, como até mesmo circular. Não queríamos parar em estacionamento, embora houvesse milhares ao redor (todos muito caros, por volta de R$ 20). Descemos duas quadras e tinha uma vaga em uma pequena rua. Meu pai, com o resto da família, deixou o carro no vallet. O local em si é muito agradável, tem música ao vivo primeiramente instrumental, e depois com uma banda completa. Nos sentamos em uma pequena mesinha no andar de cima, reservada. Deve ser muito cheio, pois disseram que não poderiam segurar a reserva mais do que dez minutos. A clientela era variada, mais para meia idade. A comida estava maravilhosa. Pedimos apenas petiscos, mas várias porções, já que estávamos em sete pessoas. Um filet mignon com catupiry, uma porção de mandioquinha e outra de pastéis variados, e uma de bruschetta. Demorou por volta de 20 minutos para chegar cada uma delas. Pedimos sucos, que vinham em garrafas de 500mL, sendo possível dividir em duas pessoas. O preço é justo para a quantidade de comida que vem, ainda que um pouco elevado. O banheiro também era muito bonitinho e limpo. O atendimento foi ótimo, atencioso. Ao final, era aniversário do meu pai, por isso a banda cantou um parabéns personalizado para ele que nos marcou para sempre.

Minha primeira visita ao Piratininga, de muitas que virão, foi pelo 25º evento Kekanto SP. Tive ótimos momentos com pessoas ótimas, como em todos os eventos do Kekanto!
O ambiente é bem legal, puxando para o rústico/antigo com tijolos expostos madeira, um carro antigo na porta, o qual foi sorteado um passeio nele pela região no dia!
Eu gostei bastante do bar, achei aconchegante, simples, bom para ir com amigos, beber conversar e curtir uma banda ao vivo. No dia, quinta-feira, estava rolando o show de uma banda, que tocava rock/pop e o som dos caras era bem bacana, fiz até um videozinho e conversei com o vocalista que era muito gente boa, pedindo autorização para isso (link da banda do Raul Coutinho que estava mandando um somzinho ao vivo https://www.facebook.com/photo.php?v=3117099101736&set=vb.1692266946&type=3&theater ) .
De dia de semana é cobrado 12 contos do couvert artístico e aos fins de semana e feriados é cobrado 15 contos.

Eu gostei dos salgados, simples, porém mesmo os bolinhos fritos eram bem sequinhos, os preços dos salgados e dos petiscos eram normais, nem muito barato nem muito caro, o cardápio tinha sushi, o qual estava bem razoável, considerando que sou bem exigente para comida japa. O preço das bebidas também é bom e para quem curte “entornar”...( Você pode encontrar informações mais específicas no cardápio deles – link: http://www.piratiningabar.com.br/images/cardapio_piratininga.pdf
.

A única coisa chata é que o estacionamento de lá não aceita cartão.
Foto opinião do Samantha Testoni sobre Piratininga Bar

Se eu tive uma agradável surpresa na Vila Madalena, essa surpresa ficou por conta do Piratininga Bar: um tesourinho do bairro, com mais de 20 anos de histórias e um charme que só existe lá. Aliás, o nome desse bar já vem carregado de significado: República do Piratininga foi o primeiro nome de São Paulo e o "Pira", em homenagem à cidade, nasceu no aniversário de Sampa.

O Piratininga é super charmoso, a começar pela fachada, eleita uma das dez mais bonitas de São Paulo, em 1994, quando existia este prêmio pela ASBA (Associação dos Arquitetos). Ao entrar, você pensa ser pequeno, mas, que nada! Mesinhas na calçada; um salão à frente, onde você pode pedir seu drinque no balcão ou em alguma das mesinhas; ao subir a escada, mais um espaço onde há um sushi bar maravilhosooo; acima, o mezanino com o piano, lindo lindo! Tudo em madeira, rústico, aconchegante.

Toda a iluminação é super intimista, romântica. Mas, isso não quer dizer que apenas casais podem frequentar a casa. Dá pra reunir um grupo de amigos, tomar umas cervejinhas geladas, pedir um dos maravilhosos petiscos (recomendo o bolinho de arroz). Se quer uma opção mais saudável, os sushis são muito bons!

Aliás, quando ia imaginar que encontraria um piano-sushi bar ali? Foi surpreendente! Eu fui em uma terça-feira e o pianista era ótimo! Tocava e cantava clássicos do rock. Há música ao vivo todos os dias, nestes 21 anos de bar! Dá pra acreditar? Além disso, eles têm um Ford antigo, estacionado em frente, mega charmoso: os clientes até podem dar uma volta nele! ;-)

Tive a oportunidade de conhecer os donos: a Vera e o Pedro! Um casal de jornalistas, gente boníssima, que se conheceu numa mesa de boteco e.... montaram o bar, além do Pira Grill e Pira Sanduba. Se você parar pra ouvir as histórias do Pedro, fica lá por horas. Isso porque ele é cronista da Vila Madalena e conta várias curiosidades sobre o bairro.

É realmente um bar diferente dos vários da Vila Madalena. Super curti ter conhecido este tesouro de Sampa! ;-)

Levei muito tempo para conhecer um dos bares mais emblemáticos da Vila Madalena: o Piratininga. Localizado numa casinha centenária na Rua Wisard, o local parece já não atrair tanto as novas gerações e, de certo modo, foi sendo um pouco esquecido no meio do batalhão de novos estabelecimentos que abrem no bairro toda a semana.

Em parte isto se deve a uma mudança no perfil do público, mas principalmente, pelo o aumento significativo da concorrência. O Piratininga é como um templo de resistência de uma boemia romântica e idealista cada dia mais rara (infelizmente) – movida outrora por uma velha-guarda profissional.

Algumas adaptações talvez sejam fruto de uma tentativa de atrair um público distinto do habitual, como por exemplo, oferecer comida japonesa (o próprio local se vende hoje em dia como Piano-sushi). Um piano-bar, com tema de anos 30 e comida japonesa é algo realmente inusitado. Eu acabei – de tanto conversar com a galera no evento do Kekanto, o qual eu estava presente – não comendo nem os quitutes japoneses, nem outras opções do cardápio. Não pude avaliar a comida, portanto.

O Piratininga está na Vila Madalena desde 1992 e como o próprio site do local revela, foi o primeiro bar a oferecer chope na região (os barris tinham de ser comprados diariamente na própria distribuidora, pois não havia entrega no bairro). No aconchegante e charmoso salão do piano-bar também já passaram muitos músicos (o local sempre teve uma forte veia musical, com apresentações todos os dias).

É inquestionável o encanto do lugar, que exala história. O seu maior bem está, creio eu, na própria equipe. A começar pela clássica figura do barman Passarinho – que deveria entrar no rol dos personagens mais importantes da noite paulistana. E também pelos garçons especialíssimos, de verdade, difíceis de encontrar hoje em dia em que tudo é muito padronizado e artificial. Não poderia deixar de citar, igualmente, a simpatia e receptividade do casal que comanda o pedaço, os jornalistas Vera e Pedro.

Parei para trocar uma ideia com o Pedro – ele no uísque e eu no chope – junto ao longo balcão de madeira do bar, que me revelou (apontando para o formato ondulado), foi construído por suas próprias mãos a partir das sobras de material do teto – após uma reforma realizada no local.

O que seria apenas uma conversa rápida acabou por durar uns quarenta minutos! E isto porque eu tinha hora para ir, do contrário poderia ter esticado o papo agradável até a madrugada. Sem dúvida nenhuma só um bate-papo com o Pedro ali no balcão, ou nas mesinhas da calçada, a tomar umas doses de uísque, já vale um retorno.

Pedro ainda sustenta um velho Ford 29, impecável, que deixa estacionado na porta do bar para dar umas voltas com os clientes pelo bairro. Tive a oportunidade de rodar um pouquinho no carro, num passeio cheio de emoção pelas ladeiras da Vila Madalena. Muito legal!

Por sua tradição, sua equipe e seu ambiente encantador, a passagem pelo Piratininga é obrigatória a todos que desejam se aprofundar mais na história da boemia de São Paulo.

Bar super charmosinho na Vila Madalena, um dos pioneiros na época em que a Vila Madalena começou a ser conhecido como um bairro boêmio na capital paulista.

Me agradaram a decoração e a caracterização dos garçons bem no estilo anos 20-30 que harmonizava com aquela luz baixa presente em todo o ambiente.

Fui em um evento do Kekanto e fiquei no mezanino, próximo ao piano. As mesas e cadeiras são muito próximos umas das outras. Não dá para reclamar de falta de aconchego ou calor humano.

Por ser muita gente, os garços se atrapalharam um pouco no atendimento. Mas o bom humor deles compensou isso. Gostei e até tive tempo de bater um bom papo com alguns deles. Idem aos donos que até chegou a dar uma volta com alguns clientes em um estiloso Ford-T (um dos primeros sucessos automobilisticos mundiais que hoje é uma raridade) que fica estrategicamente estacionado na frente do bar.

O público que frequenta é visivelmente maduro e está se renovando agora. Pedi um combinado de sushi que tiveram uma boa aparência e excelente gosto. Mais que aprovado e recomendado.

Vale a pena conhecer sim.
Foto opinião do Lucas Nobre sobre Piratininga Bar

via iPhone

O ambiente é gostoso e até um tanto romântico. As quintas tem um show muito bom de jazz se não me engano e a comida e o atendimento são ótimos. Pedi uma porção de pasteis e não me decepcionei.
Grande variedade de cervejas também!

Conheci o Piratininga num evento, o 25° Evento kekanto SP, mas o lugar é uma fábula no meio da metrópole e da loucura paulistana.
Um charme da entrada aos banheiros, com uma decoração retrô toda inspirada nos anos 20!
O atendimento é excelente, entre os garçons, destaque para o Passarinho que servia o chope e para o Sr. Raimundo que nos atendia no salão... atenciosos, gentis e extrovertidos, sempre atentos as necessidades dos clientes e convidados presentes.
Os donos são uma atração a parte, de verdade, a Vera, uma mulher alta imponente, mas com um olhar atencioso e gentil. O seu marido, do qual não me recordo o nome, estava toda a noite empolgado com o passeio de carro com os premiados no sorteio do kekanto, em seu xodó.
Aproveitei a promoção de sushi por um precinho pequeno e me fartei acompanhada pelo Allan... Fabuloso!
No fim da noite experimentei a toscana com a Sheila, também estava divina.
Me senti como naquele filme "Meia noite em Paris"!
Infelizmente não consegui tirar nenhuma foto, pois meu celular ficou sem bateria.. :-(
Outro destaque é para a plaquinha na porta onde se lê: "Música todo dia!" E é prioridade dos donos, como nos contou Vera, que todos os dias se apresentem músicos de qualidade no lugar! Então reserve a grana do couvert porque vale muito a pena.
O lugar é pequeno, mas bastante aconchegante.


Espero que nas próximas visitas a Sampa possa conferir e levar meus amigos no lugar!

Recomendo mil vezes...

Gente, é maravilhoso o local! Bem romântico, meu namorado me levou para jantar no dia do meu niver 09/10 e eu adorei. Tem musica ao vivo, os musicos são otimos.. eu viajei ouvindo musicas lindas antigas... a comida é sensaciional... bem servida.... o atendimento é de primeira....! Super recomendo!
Primeira opinião do lugar

via Android

Agradam aos casais a iluminação rarefeita. As mesas pequenas e redondas (na medida para um bate-papo tête-à-tête) e a música ao vivo - MPB, bossa nova e jazz - que ecoa em volume agradável do mezanino. As boas caipirinhas e caipiroscas do barman Passarinho embalam os namoricos noite adentro | fonte: Vejasp
Exibindo 14 opiniões | Total de 40 opiniões
1 opiniões não são recomendadas
Você conhece o Piratininga Bar? Escreva uma opinião! Dê sua nota! Nota geral
Passe o mouse pelas estrelas clique para dar nota

Opinião
Para enviar fotos ou preencher os campos adicionais, faça seu (Você não perderá a opinião escrita)

Baixe grátis o app do Kekanto Escolha sua plataforma: