O restaurante do chef Clóvis Viana, além de fazer sucesso na hora do almoço, é bastante procurado para a happy hour. Fica instalado em uma rua tranqüila, tem mezanino e mesinhas distribuídas pela calçada, cercada por árvores. O nome do restaurante é uma expressão portuguesa que significa “encontro de amigos para comer e beber bem”. Especializado na culinária internacional, se destaca por adicionar todos os temperos que agradam ao paladar dos brasileiros sem perder as características originais.

Avaliar
Salvar
Compartilhar


Dicas rápidas Ver todas as dicas
Opinião em destaque

O Patuscada é um daqueles lugares que conquistam pelo ambiente despretensioso, um misto de bar e restaurante, onde se pode passar ótimos momentos seja com os amigos, família ou em um encontro romântico.

Ele fica no bairro Funcionários, quase na esquina da Afonso Pena, em uma tranquila região de Belo Horizonte. É muito fácil de encontrar, basta chegar nas mesinhas distribuídas pela calçada.

A área interna é ampla, são dois pisos com grandes mesas, confortáveis cadeiras e uma decoração animada e colorida, talvez por isto é que conquiste tantas famílias que fazem deste seu restaurante preferido para encontros.

Fomos muito bem atendidos desde a nossa chegada e adoramos o cardápio, que simula uma colagem de matérias de jornal.

Enquanto escolhíamos os pratos chegou o couvert. Um variado cesto de pães acompanhado do delicioso trio de patês, um de frango desfiado, outro de manteiga com castanha e a inesquecível sardela italiana de aliche.

A carta de vinhos do Patuscada é bem variada e traz cerca de 200 rótulos de diversos países, incluindo uma ótima variedade no tamanho 375ml. Decidimos ficar com um tradicional Carmen Classic Carménère, um chileno para “todos os dias”.

O cardápio tem uma grande variedade de petiscos, as outras opções incluem massas, risotos, carnes, aves, peixes e frutos do mar.

Havia uma sugestão de pratos do chef e uma sugestão de almoço executivo, mas preferimos uma entrada diferente: polenta com Escargot ao Leve creme de alho. Confesso que fomos surpreendidos com uma deliciosa polenta bem temperada, parecendo “comida de vovó”. Estava perfeito.

O Patuscada faz parte da Associação dos Restaurantes da Boa Lembrança. Todo o ano um novo prato entra no cardápio e ao pedi-lo você recebe de presente uma porcelana pintada a mão. O Prato da Boa Lembrança representante de 2015 é a Galinha Caipira com arroz da horta, mais um ótimo exemplar do sabor caseiro e brasileiro que é levado muito a sério no Patuscada. Confort food de verdade.

Na sobremesa optamos por um delicioso mousse de doce de leite com Praline de Amêndoas. E um sorvete de Menta com chocolate.

O Patuscada é o lugar ideal para quem busca boas bebidas, conforto e principalmente uma comida com aquele tempero que lembra o que há de melhor no interior do Brasil.
avaliações recomendadas
   
Selecione uma nota
Compartilhar experiências reais é nosso objetivo. São filtradas resenhas spam, ofensivas, que não se refiram ao local ou que sejam/pareçam resultado de conflito de interesse.

via iPhone

Restaurante tradicional de BH. Gosto de sentar nas mesas da calçada, especialmente nas tardes de sábado, e passar horas no local. Acho o atendimento muito bom, o local tranquilo e o ambiente gostoso. A comida e muito gostosa, parece ser mistura de requinte com simplicidade. Gosto dos frutos do mar. O preço e bem salgado.

O Patuscada é um daqueles lugares que conquistam pelo ambiente despretensioso, um misto de bar e restaurante, onde se pode passar ótimos momentos seja com os amigos, família ou em um encontro romântico.

Ele fica no bairro Funcionários, quase na esquina da Afonso Pena, em uma tranquila região de Belo Horizonte. É muito fácil de encontrar, basta chegar nas mesinhas distribuídas pela calçada.

A área interna é ampla, são dois pisos com grandes mesas, confortáveis cadeiras e uma decoração animada e colorida, talvez por isto é que conquiste tantas famílias que fazem deste seu restaurante preferido para encontros.

Fomos muito bem atendidos desde a nossa chegada e adoramos o cardápio, que simula uma colagem de matérias de jornal.

Enquanto escolhíamos os pratos chegou o couvert. Um variado cesto de pães acompanhado do delicioso trio de patês, um de frango desfiado, outro de manteiga com castanha e a inesquecível sardela italiana de aliche.

A carta de vinhos do Patuscada é bem variada e traz cerca de 200 rótulos de diversos países, incluindo uma ótima variedade no tamanho 375ml. Decidimos ficar com um tradicional Carmen Classic Carménère, um chileno para “todos os dias”.

O cardápio tem uma grande variedade de petiscos, as outras opções incluem massas, risotos, carnes, aves, peixes e frutos do mar.

Havia uma sugestão de pratos do chef e uma sugestão de almoço executivo, mas preferimos uma entrada diferente: polenta com Escargot ao Leve creme de alho. Confesso que fomos surpreendidos com uma deliciosa polenta bem temperada, parecendo “comida de vovó”. Estava perfeito.

O Patuscada faz parte da Associação dos Restaurantes da Boa Lembrança. Todo o ano um novo prato entra no cardápio e ao pedi-lo você recebe de presente uma porcelana pintada a mão. O Prato da Boa Lembrança representante de 2015 é a Galinha Caipira com arroz da horta, mais um ótimo exemplar do sabor caseiro e brasileiro que é levado muito a sério no Patuscada. Confort food de verdade.

Na sobremesa optamos por um delicioso mousse de doce de leite com Praline de Amêndoas. E um sorvete de Menta com chocolate.

O Patuscada é o lugar ideal para quem busca boas bebidas, conforto e principalmente uma comida com aquele tempero que lembra o que há de melhor no interior do Brasil.
Foto opinião do Fábio Junior Alves sobre Patuscada
No Patuscada o serviço como um todo é excelente. O restante, a comida, o preço, não acompanham! Cardápio com poucas opções, pouca criatividade. Cozinha mediocre para a categoria do restaurante.
Preço caro.
Otima localização.

Teve "Restaurant Week" no mês de agosto... Bom, eu estava de férias e viajei para minha terra Belo Horizonte e hospedei na casa da minha melhor amiga... minha amiga de infância! Fui pro show de Kid Abelha, rever quase todos os bairros, fui na Savassi, nos shoppings e etc. Eu, minha melhor amiga e mais 6 amigas dela jantamos no restaurante Patuscada. Belo cardápio, boa carta de vinhos, aconchegante e recomendo! Observação feita, vamos aos pratos (veja as fotos)!

O que faz um restaurante ser o melhor? O mais indicado? A referência? O mais gostoso? O preferido? Ou “queridinho”, como gostamos de falar? Em nossa opinião, são inúmeras as variáveis. Mas, uma delas, nunca pode faltar: ser surpreendente.

Precisa ser surpreendente a cada garfada, a cada “humm”, a cada lambida, a cada expressão de “é uma delícia!”. E, mesmo que sejamos habituès, aquela sensação de “hoje vamos ter o privilégio de comer aqui de novo”, não tem preço. Não tem mesmo!

Um bom restaurante, para nós, é constante em seu posicionamento. É constante naquilo a que se propõe a ser. E, assim, quando gostamos, e voltamos, repetimos a experiência da primeira vez. Quer coisa melhor?

Palmas para o Patuscada. Delicioso! Surpreendente. Sempre.

Usualmente, no Patuscada, a Poli pede o mesmo prato: iscas de filé com nhoque trufado. E, as expressões, comentários e interjeições dela são incríveis! Delicioso de ver, ouvir e, claro, de comer.

Sempre vale a pena ver de novo. Comer de novo.

Fui ao Restaurante Patuscada 3 vezes nos últimos 2 meses. Belo cardápio, boa carta de vinhos, mas algo me chamou a atenção: nas 3 visitas  houve mudança/substituição de ingredientes do prato sem aviso do Maitré.

Observação feita, vamos aos pratos:
Entrada
Aspargos brancos com Vinagrete de Ovo trufado e Porchetta (R$22)
Entrada regular. A porchetta que servem não é porchetta, era um tipo de presunto finamente cortado. Estava bom, mas há que se registrar mais uma mudança nos ingredientes. Nota: 2/5

Anéis de Lula com Cogumelos e tomatinho (R$29)
Entrada regular também. A consistência da lula estava perfeita, o molho muito bom, mas falta algo na entrada. Nota: 3/5
Prato principal
Espaguete de Frutos do Mar (R$54)
Um prato bom, mas sem surpresas. É aquele prato para não errar. Na dúvida ele é uma boa saída. Pelo sabor, 3/5. Pelo custo benefício, a mesma nota.

Nhoque ao pesto (R$36,80)
Não podemos nunca esperar mais do que o prato pode dar, isso é evidente, mas o nhoque ao pesto estava abaixo da crítica. Sem sal, sem sabor, sem nada. Pelo sabor 1,5/5. Não peça!

Lombo de Cordeiro com Ravióli de Queijo de Cabra e Creme de Trufas (R$68)
O melhor prato da noite. Muito bom! O lombo de cordeiro estava excelente! O ravioli muito bom! E um honesto creme de trufas. Vale a pena! Pelo sabor 3,5/5. Pelo custo x benefício 3,5/5.
Lombo de cordeiro com ravióli de queijo de cabra e creme de trufas

Linguine ao pesto de Rúcula e Polvo (R$47,50)
Um prato bom, mas também falta algo. A consistência do polvo estava perfeita! Penso que deve ser pedido novamente para formar um conceito mais justo do prato. A princípio, pelo sabor do prato 2,5/5.

Filé de Dourado ao Molho de Cenoura com Risoto de Pêra, Rúcula e Gorgonzola (R$58)
O segundo melhor prato da noite. Dourado no ponto! Excelente! O risoto, como é difícil encontrar, não estava no ponto correto e faltou a marcante presença da rúcula descrita no Menu. Pelo sabor, 3,5/5. Custo x benefício: 3/5.
Primeira opinião do lugar

Lugares simpáticos nos conquistam gratuitamente. O Patuscada é um deles. Um misto de bar e restaurante, com decoração despretenciosa e, no geral, bom atendimento. Preços, talvez, um pouco salgados pelo que oferecem, mas aí já é outra discussão. E como já é de praxe, logo que sentamos veio nosso “amigo” couvert, a um preço de R$ 7,40 por pessoa.

Ao estacionar o carro, algo nos chamou a atenção: um funcionário que fica na porta, com crachá do restaurante, indicando as vagas mais próximas. Querendo ou não, isto acaba garantindo segurança, mesmo lá sendo ao lado da delegacia. E o senhor que fica lá é muito educado, precisam ver!

A primeira escolha foi o medalhão de filé mignon gratinado com queijo minas e risoto de linguiça (R$ 58). A carne estava com um tempero ótimo e queijo dava um toque especial. O risoto estava divino. A lingüiça não era forte e combinou muito com o queijo da carne. Uma ótima pedida, além de super mineiro.

O outro prato era um coelho ao molho de mostarda Dijon em grãos, acompanhando de uma batata ao pesto (R$ 48). O coelho estava uma delícia – especialmente a coxa –, bem temperado. O molho de mostarda dijon estava muito ralo e não tinha muito do gosto que certamente iria acrescentar à carne. Já a batata foi o bom acompanhamento para o prato.

A questão do preço vai muito daquilo que você espera receber pelo preço que você paga. O Patuscada não está no mesmo nível dos melhores restaurantes de BH e talvez por isso a gente acredita que o preço poderia ser mais condizente. Porém, isto não impede saciar o gosto de provar a comida do restaurante. E de ser uma boa opção.

http://2byfood.wordpress.com/
Você conhece o Patuscada? Escreva uma opinião! Dê sua nota! Nota geral
Passe o mouse pelas estrelas clique para dar nota

Opinião
Para enviar fotos ou preencher os campos adicionais, faça seu (Você não perderá a opinião escrita)

Baixe grátis o app do Kekanto Escolha sua plataforma: