Nagayama Café

nota 4.3 de 5 em 8 opiniões
| Rank: 189º de 877 | Restaurantes Japonês

Inaugurado em 1988, o Nagayama é um tradicional restaurante de culinária japonesa. Em um ambiente descontraído com ar de sushi bar, são servidos apenas pratos à la carte. Os temakis são feitos no tamanho ideal, com recheio que vai do começo ao fim do cone.

Avaliar
Salvar
Compartilhar
Oferta

Quer receber ofertas do(a) Nagayama Café?

No Kekanto os donos de estabelecimentos podem publicar cupons de descontos para todos os seus consumidores.

Baixe grátis nosso aplicativo e confira as ofertas:

Escolha seu celular:      
Divulgue seu estabelecimento aqui
Saiba como
Dicas rápidas Ver todas as dicas
avaliações recomendadas
Nosso sistema de inteligência artificial recomenda automaticamente as opiniões com maior probabilidade de serem relevantes a você. Ele leva em conta diversos fatores como, por exemplo, a qualidade de texto e fotos, e o histórico de publicações do autor. Apenas as avaliações recomendadas são levadas em conta na avaliação geral do estabelecimento.
   
Selecione uma nota

Especialista em Restaurantes Japoneses com 81 opiniões na categoria

Conheci o Nagayama Café depois de ir no seu vizinho (Nagayama "normal"), sendo que o motivo pelo qual fui neles foi porque conheci outros dois restaurantes de "filhos" que trabalharam muitos anos e foram montar o Z|San e Ohka (gosto de ambos).

O Nagayama é um cantinho com um sushi bar mais tradicional onde você pede diretamente para o sushiman (japonês) se sentar no balcão. Tive MUITA sorte de chegar quando estava cheio e logo liberar o cantinho do bar, onde fica o sofá super confortável em frente ao sushiman Alessandro.

Para começar um dos melhores Daijingos que já tomei: Haktsuru Daiginjo Hyogo. A dose é bem cara (R$ 40), mas valeu a pena. Para comer eu recomendo MUITO
- ussuzukuri de barriga de salmão trufado (faz meia porção e é fora do sério).
- Ussuzukuri de polvo (faz meia porção, é saboroso e com textura boa).
- Salmão batterá - Salmão picado com massa frita pequena crocante e arroz misturado em ovas de capellin. Faz meia porção também.

Dica: O estacionamento fica na frente dentro do posto Shell.
Compartilhar experiências reais é nosso objetivo. São filtradas resenhas spam, ofensivas, que não se refiram ao local ou que sejam/pareçam resultado de conflito de interesse.

O restaurante foi aberto em 1988, um daqueles negocios de familia que nao tem como dar errado.
O trabalho bem feito nas 4 mesas existentes na época deixou claro que precisariam de muitas outras mesas. Não contrariando as expectativas e mantendo o respeito pelo atendimento excepcional a seu cliente servindo sempre com muita qualidade, surgiu o Naga, o Nagayama Café e o Nagayama na Rua da Consolação. As quatro casas seguem seu estilo próprio. Eu confesso que sou fã e habitué do Naga, que tem mais cara de Sushi bar e é bem mais informal. Sentar no balcão é uma das melhores opções na hora de movimento. É tudo aconchegante e da pra se sentir no Japão por alguns instantes. A carta de saques é incrível!!!! Rótulos que merecem ser degustados devagar, frios ou quentes acompanhados de toro, ovas de salmao e tudo de maravilhoso que sai da mão do sushiman. E quem já ocupou essa vaga na casa foi ninguém menos que o mestre Jun Sakamoto. Por aí voce ja pode imaginar que estamos falando realmente de comida muito boa, certo?! Estamos falando de essêcia e essas tem de sobra.

O Naga ainda tem a qualidade de ser todo aberto, você consegue ver o que sai da cozinha pois só um véu vermelho cobre essa saída. Uma cozinha pequenina que tem uma wok, hashis gigantescos para manuseio de alimentos dentro dela e, vou contar pra voces, não é facil mexer com aquilo e olha que eu tentei inistentemente, rs. Eu não sei se aconselharia voce a ir a um restaurante japones e comer um combinado, existem muitas outras coisas interessantes e deliciosas que só você pedindo as duplas e conversando com seu sushiman vai conseguir se conhecer. Vale a pena experimentar e não vai sair nada mais caro, viu?! Pode confiar em mim, vai dar na mesma no preço, mas não na satisfação de ter comido coisas novas e as especialidades da casa, pelo menos em se tratando do Naga. O toro é indispensável, e quase necessário a sobrevivêcia de quem curte MESMO a culinária japonesa. As ovas são tão frescas que também não ficam atrás.
Por isso se você for pensar duas vezes onde vai jantar hoje, vai ter que esperar na fila, ali na Bandeira Paulista por que nem sendo duas casas, uma colada na outra, as mesas são suficientes. Deixaram de ser quatro para serem muitas e mesmo assim, são poucas.

via iPhone

Especialista em Restaurantes Japoneses com 16 opiniões na categoria

Atendimento e ambiente nota dez. Paladar tradicional, com alguns toques ocidentais.

Qualidade dos cortes, tempero do gohan, shoyu kikkoman, wasabi forte e gari saboroso sem ser ácido. Pontos de qualidade.

Chá verde quente não é cobrado, oshibori na temperatura certa e sem odores fortes.

Sentei no balcão, pedi diretamente com o sushiman. Me atendeu bem.

Preço fora da média. Valor proporcional a localização e pela qualidade. Prepare-se para gastar em torno de 150/cabeça para comer a parte fria.
Foto opinião do Gustavo Tsuda sobre Nagayama Café

Ouve-se dizer muito do Nagayama. Fui então provar.

Lugar pequeno e aconchegante, muito agradável. Serviço simples e simpático, também muito bom. Mas vamos ao sushis e sashimis, que foi o que comi:

Peixes bem frescos, mas alguns sem tanta qualidade. O salmão estava muito bom, o atum regular e o buri deixou muito a desejar. Cortes nem tão precisos.

Sushis montados com certa dignidade, mas o arroz definitivamente não estava bom: ligeiramente seco e duro, com um shari sem grandes adjetivos. Sushi de unagui... bom, mas mergulhado em molho. Sushi de lula... excepcional, sem comentários.

O Nagayama tem sushis e sashimis regulares (dentro do parametro de verdadeiros restaurantes japoneses) e um preço não muito caro. Mas faltou a verdadeira qualidade da comida japonesa: pesonalidade sutilmente forte, delicadeza e, o principal, a precisão nos pequenos detalhes (como um arroz maravilhoso e um corte perfeito)

Resumo: o furor todo é causado por gente "descolada" que não conhece muitos restaurantes japoneses bons, que se surpreenderam quando pela primeira vez não comeram num Aoyama da vida, mas certamente merece um pouco de atenção, pouco.
Primeira opinião do lugar

Conheci a unidade da Consolação. Eu esperava um desses rodízios completos em ambiente descolado, e me surpreendi. O Nagayama fica numa casa discreta, não serve rodízio, só pratos à la carte, e tem um público super tradicional. Na mesa ao lado da nossa, por exemplo, dois casais conversavam animadamente em... japonês! Quando abro o cardápio, uma surpresa desagradável: preços salgadíssimos. Questionei como é que, em tempos de rodízio, um restaurante japonês continua servindo pratos à la carte por preços tão altos. Achei que não compensaria.

Mas aí, dei a primeira mordida num temaki de salmão skin. E qualquer sentimento ruim que eu pudesse alimentar não teria vez diante daquela saborosa entrada. Para uma pessoa como eu, que sempre larga a pontinha porque o cone é grande demais e vem com recheio de menos, o tamanho do temaki do Nagayama é na medida. Nem muito grande que me faça deixar a pontinha do cone e reclamar da falta de recheio, nem muito pequeno que não me satisfaça.

Dalí em diante foi só alegria. Mandamos ver numa porção de shimeji que chegou à mesa pelando e super sequinha. Depois, dividimos um Teppan Yaki misto. Pudemos escolher três ingredientes, e fomos de salmão, camarão e lula. As carnes, mais um bocado de legumes (cenoura, brocólis, beringela, broto de feijão e vagem) chegaram numa chapa de ferro super quente sobre um apoio de madeira - como manda a tradição.

Acompanhava o Teppan uma cumbuquinha de arroz e outra de missoshiru, uma sopa japonesa. Só de lembrar dá água na boca. Eu que não sou muito fã de lula (mas fã em excesso dos outros dois componentes do prato) adorei a que comi. Ela veio muito bem grelhada e temperada, senti um toque de limão. Só lamentamos o fato de ter vindo apenas dois camarões, dos grandões. Aceitável só porque o prato é individual, embora dê muito bem pra duas pessoas que já se serviram de alguma entrada.

Nem sobrou espaço pra sobremesa. Pedimos logo a conta, já sabendo o que nos esperava. Três refrigerantes + dois temakis + uma porção de shimeji + um teppan yaki = R$ 155. Acho caro, mas não sejamos injustos: a comida é deliciosa, o atendimento impecável e o lugar é muito agradável. Pra quem pode bancar, vale a pena.

Visite a gente no www.restaurantcouple.blogspot.com ou no @restcouple

Especialista em Restaurantes Japoneses com 46 opiniões na categoria

Estive no Nagayama Café em uma 5f por volta das 20:30. Não fiz reserva, mas foi fácil encontrar mesa sem espera nenhuma. O lugar é relativamente pequeno (deve ter uns 30-50 lugares), com uma decoração ok, e meia luz. Bom para ir com amigos ou com a namorada (note que não há muito espaço entre as mesas). O público é jovem e a comida é muito boa. Peixes de qualidade e pratos diferentes - experimente o carpaccio de salmão com raspas de limão e azeite trufado; muito bom!. O preço é salgado; um combinado simples para 2 mais o carpaccio, um gyoza e coca-cola ficou em R$140/pessoa.
Não sei se o custo-benefício é dos melhores. Os peixes são frescos e os sushis também bem preparados, mas nada excepcional. É também daqueles lugares que não é aconselhável pedir nada fora da especialidade da casa. Experimentei uma vez o lamen, que simplesmente não dava pra comer. A massa estava péssima e o molho também deixou muito a desejar. O ambiente é tradicional, sem muitas firulas e aconchegante, apesar de um pouco apertado. Em geral, não decepciona no básico, mas não espere muito além disso.
Você conhece o Nagayama Café? Escreva uma opinião! Dê sua nota! Nota geral
Passe o mouse pelas estrelas clique para dar nota

Opinião
Para enviar fotos ou preencher os campos adicionais, faça seu (Você não perderá a opinião escrita)

Baixe grátis o app do Kekanto Escolha sua plataforma: