Há mais de 40 anos o Mocotó traz clientes do mundo inteiro. O ambiente simples e acolhedor, a boa comida, o excelente custo-benefício e a hospitalidade são a receita para o sucesso do restaurante. O renomado chef Rodrigo Oliveira se inspirou na cozinha nordestina de seu pai e estudou referências em todo o Brasil para criar um menu reconhecido internacionalmente, que também rendeu ao Mocotó o título de Melhor Restaurante Brasileiro pelo Kekanto. Entre os destaques do cardápio estão o Caldo de Mocotó, Costelinha de Porco à Moda do Engenho, tapiocas, Asinha de Pintado e o Pirarucu Assado.

Divulgue seu estabelecimento aqui
Saiba como
Dicas rápidas Ver todas as dicas
avaliações recomendadas
Nosso sistema de inteligência artificial recomenda automaticamente as opiniões com maior probabilidade de serem relevantes a você. Ele leva em conta diversos fatores como, por exemplo, a qualidade de texto e fotos, e o histórico de publicações do autor. Apenas as avaliações recomendadas são levadas em conta na avaliação geral do estabelecimento.
   
Selecione uma nota

Fazia muito tempo que eu não sentia uma vontade imensa de sair de um lugar e correr pra frente do computador para escrever a minha experiência. E é exatamente isso que aconteceu comigo no Mocotó Restaurante & Cachaçaria. Detalhe: é a segunda vez que vou lá e mesmo assim tenho ganas de escrever novamente, reafirmando a minha primeira avaliação. Este lugar realmente merece o status de 5 estrelas e ser o mais bem avaliado restaurante de São Paulo (e do Brasil!) no Kekanto, além de estar entre os 12 melhores restaurantes da América Latina.

Como todos sabem, o restaurante não se resume apenas à excelente comida, ao custo-benefício e à hospitalidade. O que faz do Mocotó um fenômeno internacional é a "humildade", uma palavra tão em falta ultimamente... Ao conhecer pessoas como o chef Rodrigo Oliveira e seu pai José - com quem começa esta história - você sente que ganância e ambição por um status social, tão presentes neste meio de fama e gastronomia, não fazem parte desta família. Até porque, como disse o chef Rodrigo "quando você é filho de sertanejo, sempre é lembrado de suas origens".

Apesar de Rodrigo ser paulistano, realmente mostra que é um cara que lembra de onde veio: não só pela paixão à comida nordestina (ou "sertaneja", como ele prefere definir), mas de ter nascido na Vila Medeiros, na Zona Norte de São Paulo, e continuar lá até hoje. Apesar de ser um chef renomado, não se esquece jamais da sua adolescência desde os 13 anos trabalhando no antigo bar Mocotó, da bronca que levou do seu pai ao transformar o lugar em restaurante sem seu consentimento (e aí começa uma história de sucesso), e de suas origens nordestinas ao sempre viajar em busca de novas referências, produtos de qualidade e aprendizado com o povo do Nordeste.

Por isso, eu resumiria o Mocotó nestas palavras: amor, família, humildade, essência. Pois foi sem perder a essência, manter uma equipe extremamente hospitaleira, uma comida excelente, com um custo-benefício ótimo, com a vontade de "ser cada dia melhor", que o Mocotó se tornou o que é hoje - bem longe do "raio gourmetizador" que virou moda em São Paulo.

Acho que por toda esta história, ir até o "escondido" Mocotó vale a pena (e muito!). Agora quero saber: você chegou até aqui na minha opinião? Ou já está no Mocotó? Pois bem, vamos às sugestões que a fome deve estar grande: pra começar, peça os dadinhos de tapioca, os tradicionais da casa! Quer refrescar? Experimente o suco de cajá - raridade em São Paulo!

Como você já percebeu, o Mocotó é conhecido pela fartura, excelente comida e ótimo custo-benefício. Exemplo: se você escolher o tradicional Baião de Dois, com farofa e purê de inhame, no tamanho médio vai gastar R$ 35 - sendo que este tamanho serve 3 pessoas! Sim, TRÊS pessoas famintas! E o sabor é inesquecível!

Mas você não pode sair daqui sem provar as caipirinhas maravilhosas da casa e, principalmente, a caipirinha de tangerina com seriguela - não conhece a fruta? lá eles têm para provar! Uma dica: não deixe de levar um pedacinho do Mocotó à sua casa; compre alguns de seus produtos na adega como o doce de cocada, a pimenta adocicada e a tradicional manteiga de garrafa!

Para eu ter escrito uma opinião tão longa (quase uma crônica) é porque este lugar me inspira demais. Volto, volto, volto mais vezes e sempre com vontade de retornar. Porque toda a experiência ali é única. Inclusive, neste meu segundo contato com a casa, ela estava reformada, não mais com aquela cara "roots" de antigamente, porém igualmente aconchegante e sem perder sua essência.

Em lugares assim você vê e comprova que "Existe Amor em São Paulo"! E muito!
Compartilhar experiências reais é nosso objetivo. São filtradas resenhas spam, ofensivas, que não se refiram ao local ou que sejam/pareçam resultado de conflito de interesse.

Opinião direto ao ponto!

O que é EXCELENTE
- dadinho de tapioca! Obrigatório provar!
- costelinha de porco a moda do Engenho! EXCELENTE para pedir como prato principal
- cocada de sobremesa
- Francesinha - Cachaça temperada da casa

O que é BOM:
- caipirinha de três limões
- baião de dois
- pudim de leite

O que é OK:
- escondidinho de carne seca
- caldinho de mandioca
- doce de banana e mamão


Dica de ouro: Chegue na casa as 11h30. Cheguei ao meio dia de um sábado e esperei 1h40 para pegar mesa.
Escondidinho de carne seca
"Escondidinho de carne seca"

via iPhone

Fomos em um sábado por volta da 13:30 e a espera era de 2 a 2 horas e meia. No começo ficamos aguardando em pé no salão ao lado onde garçons serviam entradas e bebidas, mas achamos melhor não consumir pq as mesas de espera estavam lotadas e não teríamos onde apoiar. Depois de 1 hora descobrimos o balcão que fica dentro do restaurante e começamos a entender porque o restaurante é tão querido pelos clientes. Pedimos caipirinhas preparadas por um barman muito simpático e feita com uma cachaça tão boa que não causava aquela queimação típica. Para acompanhar, provamos o famoso dadinho de tapioca que parece muito simples até o momento que você mergulha no molho que acompanha e tudo faz sentido. Pedimos também um caldo de mocotó que é servido em vários tamanhos e que estava maravilhoooso. Logo após o caldo, liberou mesa e pedimos um peixe com arroz misto e farofa de côco. Tudo estava bom, mas a farofa foi a estrela do prato, mesmo para mim que não sou fã de farofa. Sobremesa pedimos um mousse de chocolate com cachaça e uma banana com queijo e melaço de cana que estava incrível! Próximo das 16h o chef Rodrigo Oliveira foi para o salão conversar com os clientes. Super simpático tirou algumas fotos, falou com a equipe, enfim, nada de estrelismo. Total da conta para 2 com 5 caipirinhas, 1 bebida aperitivo, 1 caldo, 1 dadinho, 1prato principal e 2 sobremesas:R$ 250.

Fomos numa segunda-feira, feriado. Chegamos às 10h50, o restaurante abria às 11h30. Já havia uma pequena fila de espera, quando o restaurante abriu a fila era bem grande, porém todos conseguiram entrar. Pedimos dadinhos de tapioca de entrada (muito bom!). De prato principal pedimos um baiáo de dois e carne de sol desfiada, os pratos sáo bem servidos e muito gostosos. De sobremesa pedimos um pudim de tapioca e um sorvete de rapadura, sensacional, achei que o sorvete seria muito doce, mas estava uma delicia. A dica é chegar antes do restaurante abrir. Saimos de lá às 13h e a fila de espera era de mais de 2h30.

Com 233 opiniões aqui no Kekanto e com diversos prêmios recebidos ao longo de seus 40 anos de funcionamento, o 16° melhor restaurante da América Latina é realmente digno de 5 estrelas! ;)

Por muitos anos o Mocotó funcionou como uma Casa do Norte (casa que vende produtos nordestinos) e era conhecido por servir o melhor caldo de mocotó da Zona Norte. Nessa época quem comandava a casa era o "Seu Zé de Almeida". O filho do "Seu Zé", Chef Rodrigo Oliveira, passou a comandar as panelas do Mocotó a partir de 2004. E aí começou a glamourização do Mocotó! :)

Visitei o Mocotó no dia 11 de agosto de 2013, um domingo, aniversário da minha mãe. Foi uma ótima oportunidade para conhecer a casa! :) Chegamos cedo, 11h20, assim evitamos a tão indesejada fila de espera que pode durar mais de 2 horas aos domingos! Odeio esperar, então prefiro chegar bem cedo ou bem tarde, num horário entre almoço e janta. Fomos encaminhados diretamente para uma das mesas do salão e daí começou o meu dia! rs :) O atendimento feito pelos garçons foi bem atencioso, sempre sorridentes e prestativos.

Para iniciar a refeição pedimos uma porção de dadinhos de tapioca com geléia de pimenta, uma porção de torresminho crocante, uma porção de um torresmo um pouco maior e mais mole (indicação do garçom) e uma porção de chips de mandioca. Todos os petiscos chegaram rapidamente e estavam muito gostosos! O torresmo maior era bem gorduroso, não comemos tudo, não pediria numa próxima visita. Os homens da mesa ganharam 2 cachacinhas bem porretas porque era dia dos pais :D, mesmo os dois sendo apenas pais de gatos e cachorros! hehe
Estávamos em 5 pessoas e pedimos 2 pratos principais para dividir: baião de dois tamanho médio e carne de sol assada (Carne de sol preparada artesanalmente e servida com manteiga de garrafa, alho assado, pimenta biquinho e chips de mandioca). Além dos itens mencionados, serviram farofa e purê de mandioquinha. Tudo estava muito gostoso! O baião de dois é bem saboroso! :) Os dois pratos serviram bem as 5 pessoas e não sobrou nada! rs

Para a sobremesa pedimos 2 pratos também para dividir: pudim de tapioca e gelado de cupuaçu. O pudim de tapioca ganhou o meu paladar :) Mas o gelado também era bom, deixei para o final para tirar a doçura do pudim.

Tivemos uma refeição muito agradável e em dado momento o Chef Rodrigo e seu pai passaram por nossa mesa e conversaram um pouquinho com a gente! Muito simpáticos! :)

Depois do cafézinho pedimos a conta e tivemos uma grata surpresa com o valor: R$ 200,00 já com o serviço. Valor justo por uma comida bem feita, outros restaurantes deveriam seguir o exemplo do Mocotó! ;)
"Carne de Sol"
Não tivemos problemas para entrar. Chegamos às 11:20, pegamos uma senha e 10 minutos depois o restaurante abriu. Todos os funcionários nos receberam na porta, nos cumprimentando, achei muito acolhedor.
Pedimos sarapatel, baião de dois, carne de sol com aipim e escondidinho de carne seca.
Tudo estava maravilhoso. Comida bem-feita é outra coisa.
O atendimento era rápido e cada garçom fica responsável por poucas mesas, ou seja, tudo andava bem mais rápido.
Éramos 6, então dividindo tudo o que pedimos, deu uma média de 60 reais por pessoa.
Já paguei muito mais por comida ruim ou que simplesmente não valia.
Vale à pena ir ao menos uma vez na vida comer neste lugar. É uma oportunidade de comer excelente comida por preço baixo.
Cozinha nordestina da melhor qualidade com mais de 40 anos de tradição. Não deixe de experimentar o Caldo de Mocotó, Costelinha de Porco à Moda do Engenho, tapiocas, Asinha de Pintado e o Pirarucu Assado. O ambiente é muito agradável e a cerveja é sempre muito gelada. O atendimento é o ponto alto do Mocotó. Mas o restaurante não oferece apenas comida Nordestina, também está em seu cardápio outros pratos da culinária brasileira.

Sabe aquele tipo de lugar simples, de preço justo, comida boa e ambiente agradável? É uma descrição rara de não ficar só no papo, mas esse lugar é o Mocotó. Sem nenhum tipo de frescura, é um restaurante extremamente receptivo, mesmo com as longas filas aos fins de semana. Para aliviar na demora, os garços atendem mesmo enquanto você espera, e já dá para ir beliscando ou bebendo alguma coisa para abrir o apetite. Porém como a maioria das minhas experiências no local foram em dias de semana, filas nunca me incomodaram tanto assim.

Mas vamos ao que realmente interessa: o cardápio. O Mocotó é um daqueles lugares que você pode vendar os olhos, arremessar um dardo no cardápio, e onde cair, é só pedir. Não tem erro. Não tem nada de ruim, tudo é muito saboroso, em porções generosas que fazem valer a pena ir em grupo, e dificilmente você comerá tão bem em algum outro lugar pelos mesmos preços. Outro ponto muito forte que faz o Mocotó valer a pena é o cardápio de bebidas: são dezenas e dezenas de opções de cachaças, caipirinhas de todos os tipos, e boas opções de cervejas. Um dos lugares mais saborosos na cidade de São Paulo.

via iPhone

O Mocotó é um dos melhores endereços na ZN. A comida é excelente. Não deixe de experimentar o dadinho de tapioca enquanto enfrenta a longa espera por uma mesa. Destaque para as caipirinhas com frutas típicas e para a cerveja artesanal da casa. Destaque também para a versão adaptada do creme brule que o chefe desenvolveu ! Os pontos fracos são estacionar e esperar por em média 1 hora por uma mesa. Acomode-se no balcão e beberique !!!

Excelente restaurante, ambiente familiar, funcionários muito bem educados e prestativos, porções super bem servidas, a da de carne-seca é maravilhosa. Faz fila as vezes para entrar no local, mas vale a pena a espera. Cada porção da para dividir com 02 pessoas ou mais tranquilamente. Recomendo este restaurante sem dúvida alguma. Considerado o melhor restaurante de comida nordestina de SP.
Restaurante com o lugar muito aconchegante e com o ambiente bem decorado.
O cardápio mistura comidas típicas do Brasil com toques gourmet.
Cervejas bem geladas e com uma ótima carta de vinhos.
O atendimento é de primeira com colaboradores bem treinados.
Fui com a família inteira e todos ficaram satisfeitos com tudo.

A melhor comida nordestina do Brasil é produzida nesse estabelecimento. Tudo o que se come lá tem um toque gourmet incrível, sofisticado e inesquecivelmente delicioso! Nunca mais uma carne de sol terá o mesmo conceito após você provar a de lá. As sobremesas são uma atração à parte. Sempre com um prato novo e criativo, se tornou um point obrigatório em meu roteiro gastronômico quando vou a São Paulo.

O Mocotó foi uma experiência única! Incrível! Já tinha ouvido falar bastante sobre o restaurante, mas morando há três anos em São Paulo nunca tinha ido. Ontem (18/03/2015) foi o dia que tive a oportunidade de conhecer o local. E eu fiquei impressionado! Já comi em São Paulo a comida nordestina, da minha terra, todas muito boas por sinal, mas o Mocotó tem um diferencial.

O tempero diferente que o Mocotó tem é a simpatia! A comida é boa, muito, muito boa e somada ao atendimento fica ainda melhor. Estávamos em três pessoas e pedimos um baião de dois médio que deu para os três e ainda sobrou! Fantástico! E o prato custava muito barato. Era uns R$30,00. Ainda tomei suco de cajá - super difícil de encontrar por SP e ainda mais um muito bom - e depois uma caipirinha sem álcool (não posso tomar bebidas alcoólicas).

O chef Rodrigo Oliveira é muito atencioso. Simpático e humilde, ele conversou conosco sobre o Mocotó e sobre ele mesmo. Todas as pessoas que nos atenderam eram mega simpáticas. Somado a isso tudo está a cara nordestina do lugar. Gonzaga, Elba Ramalho e outros grandes nomes da música da região eram quem dominava a música ambiente por meio do das caixas de som e em um volume gostoso de ouvir.

Tudo me lembrou os restaurantes da minha terra e bateu aquela saudade! Para mim, o único problema do Mocotó é que ele fica fora do meu roteiro diário, consequentemente é um local para ir e passar um bom pedaço da tarde. E com certeza irei de novo várias vezes sempre que quiser matar a saudade de casa.

Animal.
Fica até dificil de descrever como os pratos são incríveis.
Combinações como massa de tapióca com queijo coalho, cortado em cubos e frito, com melaço; costela de porco desossada, recheada de pernil....minha nossa....é incrivel.... parei...quero voltar la....agora....
Exibindo 14 opiniões | Total de 503 opiniões
45 opiniões não são recomendadas
Você conhece o Mocotó? Escreva uma opinião! Dê sua nota! Nota geral
Passe o mouse pelas estrelas clique para dar nota

Opinião
Para enviar fotos ou preencher os campos adicionais, faça seu (Você não perderá a opinião escrita)

Baixe grátis o app do Kekanto Escolha sua plataforma: