Mestre Das Batidas

nota 3.8 de 5 em 15 opiniões
| Rank: 216º de 1192 | Bares e Botecos

O Mestre das Batidas é um boteco situado no Itaim. O ambiente é agradável e descontraído, com mesinhas na calçada e uma pequena televisão que transmite uma programação bem diversificada. Apesar do nome, a casa oferece muito mais do que batidas. O cardápio oferece frutos do mar, lanches, salgados, tira gosto, porções, petiscos e sucos, além é claro das mais inusitadas batidas.

Avaliar
Salvar
Compartilhar


Dicas rápidas Ver todas as dicas
Opinião em destaque

Já fui algumas vezes e tomei sucos naturais. Ontem passei por lá e pedimos cerveja Original R$ 11,00, espetinho de camarão muito bem temperado por R$ 15,00 e almondega. Tem outros salgados também: coxinha, kibe, pastel R$ 4,50 cada. O bar é antigo de esquina com a R Leopoldo Couto Magalhães. O banheiro estava meio alagado por causa da chuva e deveria ser reformado. Tem várias bebidas além das batidas, sucos e cervejas; tem tequila, cuba, campari, vodka, etc....
avaliações recomendadas
   
Selecione uma nota

Já fui algumas vezes e tomei sucos naturais. Ontem passei por lá e pedimos cerveja Original R$ 11,00, espetinho de camarão muito bem temperado por R$ 15,00 e almondega. Tem outros salgados também: coxinha, kibe, pastel R$ 4,50 cada. O bar é antigo de esquina com a R Leopoldo Couto Magalhães. O banheiro estava meio alagado por causa da chuva e deveria ser reformado. Tem várias bebidas além das batidas, sucos e cervejas; tem tequila, cuba, campari, vodka, etc....
Compartilhar experiências reais é nosso objetivo. São filtradas resenhas spam, ofensivas, que não se refiram ao local ou que sejam/pareçam resultado de conflito de interesse.

O Mestre das Batidas é um ponto clássico no Itaim Bibi e você precisa conhecer. ;)

Botecão de primera, costuma atrair todo o tipo de gente. Executivos e mauricinhos famintos adoram apreciar um tradicional PF na hora do almoço. Já no fim do dia, o público muda e o local fica repleto de jovens afim de se embriagar.

O ambiente é pequeno, aconchegante e super informal. Quer experimentar as melhores batidas da cena paulistana? Como o próprio nome já diz, o pessoal que trabalha lá é 'mestre' e sabe BEM o que faz.

Morango, abacaxi, limão, lima da pérsia, melancia, laranja... a variedade é grande e o toque especial vai para a mistura de leite condensado e vodka. As bebidas são muito doces e saborosas. Experimente tudo o que for possível e seu estômago permitir.

Mas preste atenção: os garçons são todos muito maduros (se é que você me entende), a terceira idade reina no ambiente. Portanto, verifique se o responsável por seu pedido realmente entendeu o que você deseja consumir. Caso contrário, prepare-se para esperar alguns bons minutos.

Muito bom na esquina ambiente intimista atendem super bem com petiscos tradicionais e lógico vários tipos de batidas local bem antigo recomendo pois será bem atendido já frequento a uma década.

Tá com fome? Tá no Itaim? Tá sem dinheiro e com VR? Então dá uma passada lá no Mestre das Batidas! Ué, mas não tem só batida lá? Não, minha gente, lá tem comida gostosa também!

Numa bela tarde de muita fome e pouco dinheiro, passei com um amigo despretensiosamente para comer alguma coisa no Mestre das Batidas. O lugar, com cara de boteco, jeito de boteco e clima de boteco, fica numa esquina do Itaim (aí o glamu aumenta porque tem vários engravatados na região). Comi um misto quente no pão de forma integral e não me arrependi. O lanche é, mais ou menos, R$12 e vieram três metades bem servidas!

Ainda não experimentei as famosas batidas, por isso quero voltar qualquer dia para provar! O atendimento foi normal, mas achei legal que os garçons eram mais velhos e isso dá aquele toque clássico que o boteco tem.

EIta que buteco maneiro esse, hein?
Essa semana, à noite, no ápice da minha fome, dei uma parada no Mestre das Batidas para comer um lanche.
Experimentei o X-Churrasco com vinagrete e me surpreendi. O lanche veio cortado, em formato de aperitivo. Muito saboroso. A carne estava bem macia e suculenta.
O lugar estava com uma movimentação tranquila, para uma quarta-feira no horário do Happy hour e eles estão preparados para que as pessoas vão assistir os jogos da Copa.
Mas é claro, com aquele climão de boteco, que eu particularmente adoro.
Enfim, o lanche, uma breja garrafa e um misto quente não passou dos R$ 40.
Não deu para experimentar as boas batidas do lugar. Preciso voltar e aí eu escrevo por aqui. E ah! Eles aceitam Vale refeição, uhul

Esse é uma bar/boteco tradicionalissimo no bairro do Itaim Bibi.

Tem mais aproximadamente 50 anos na região, atendendo todos os tipos de público,
dos jovens para o esquenta antes da balada até mesmo senhores aposentados que frenquentam lá a anos !!

As batidas sem dúvida são fantásticas, as porções também bem servidas e gostosas.

Destaco a "Calabresa em chamas", uma calebresa que literalmente colocam fogo...

Gosto muito de ir aos sábados ou domingo a tarde, onde se pega uma mesa na calçada e pode aproveitar uma boa cervejinha estupidamente gelada !!!!

Lugar para ir sempre bem acompnhado dos brothers

Cinquentenário boteco no Itaim que se autointitula o maior especialista no assunto na cidade, o que mostra logo de cara que pretensão é a única coisa que não falta por ali.
Há, sim, uma grande variedade de batidas. Porém, nada é grande coisa como os preços sugerem que sejam, e o lugar se destaca apenas pelo mal atendimento e pela falta de personalidade, já que a aparência é meio de lanchonete, meio de padaria e, em ambos os casos, bem sem graça.

via iPhone

O Mestre é uma instituição do Itaim. Boteco simples, para ir de bermuda e camiseta (ou direto do trabalho, o ponto é que não é mais um desses botecos chiques) e deixar o tempo passar. O mais importante é sentar na calçada. Lingüiça no álcool e churrasco aperitivo são as especialidades. Original gelada. É meio óbvio dizer que as batidas são muito boas. Destaque para as de coco, maracujá, a famosa Sonho de Valsa e a Xixi do Hulk.

O Mestre das Batidas era o último bar da tríade "batideira" de São Paulo que me restava conhecer. Como tinha um compromisso relativamente perto, achei que ontem, uma Quarta, era o dia perfeito para finalmente visitá-lo. Claro que a resenha do André Leiras foi o principal fator de motivação mas, infelizmente, ele não pôde me acompanhar. Tudo bem, fui assim mesmo...

Chegando lá, o ambiente se mostrou de acordo com o esperado, com cara de lanchonete de esquina, balcão de padaria com salgados em exposição e mesas e cadeiras de madeira, simples, dentro e também na calçada. Dai pra frente, é impossível contar a história sem deixar de comparar minha experência ali com o do meu bar referência neste quesito, o famoso Rei das Batidas.

Vamos começar pelo atendimento, ponto em que os dois se equivalem (exceto o Osmar, do Rei). Sentei e demoraram para reparar em mim, como se tivesse que ser minha a iniciativa de chamar o garçom, algo típico de lugares assim, mais simples e com muito movimento. Às vezes é até sem querer mesmo. Depois que um senhor me atendeu, fiz meu primeiro pedido: Uma Original e dois bolinhos de bacalhau, pois já tinha chegado com fome. A Original veio conforme o protocolo, servida bem gelada, normal... Já os bolinhos... Bem, eu prefiro os bolinhos de bacalhau do Rei das Batidas, pois são mais macios, um pouco maiores e fritos na hora, coisa que não aconteceu no Mestre, que enviou meus bolinhos já quase frios e com uma "casca" um pouco dura demais. Mas olha, o sabor estava bom.

A fome ainda não havia passado e resolvi então pedir um espeto de camarão. Esse sim uma grata surpresa. Muito bem temperados e com tamanho generoso, eles chegam à sua mesa retirados do espeto e passados na chapa, com casca e tudo (apenas sem a cabeça). São em torno de 7 deles, bem graúdos, e me saciaram bem. Nisso, ponto para o Mestre, pois no Rei não tem camarão. A porção de Joana Darc não pude comparar. Eu já comi a do Rei, mas ontem não pedi ela no Mestre, portanto fica pra próxima.

De bucho forrado, era a hora de pedir a batida. Como sempre pedi a de coco, pois é a minha preferida no Rei e serve de parâmetro de comparação para os outros lugares. Acho que aqui podemos dar um empate técnico, pois estava tão boa quanto a do seu rival e bem melhor do que a do Bar das Batidas, o outro membro da tríade. Tinha coco, mas também tinha cachaça. Muito boa!

E, por fim, bebi dois chopes. Aqui, novamente, ponto para o Mestre, pois no Rei não servem chope. Por outro lado, o Rei ganha no quesito diversidade de cervejas, pois tem as importadas da Ambev também, coisa que não havia ontem no Mestre. E por falar em cervejas, o maior ponto negativo de lá, na minha opinião, foi o preço delas. A Original me custou R$8,00! Tudo bem, estamos no Itaim Bibi e tals mas... Forçou a amizade! A mesma, no Rei, está saindo por R$6,00 ou, no máximo, R$6,50... Ponto pro Rei, sem dúvida, neste quesito!

Mas na verdade, a moral da história nem é essa: Os três bares (incluo aqui o Bar das Batidas) tem suas peculiaridades, seus pontos altos e, claro, seus deslizes. Contudo, ambos são igualmente tradicionais e merecem muito a nossa visita! Gostei do Mestre! Voltarei!
Exibindo 14 opiniões | Total de 16 opiniões
1 opiniões não são recomendadas
Você conhece o Mestre Das Batidas? Escreva uma opinião! Dê sua nota! Nota geral
Passe o mouse pelas estrelas clique para dar nota

Opinião
Para enviar fotos ou preencher os campos adicionais, faça seu (Você não perderá a opinião escrita)

Baixe grátis o app do Kekanto Escolha sua plataforma: