Opinião em destaque

Fui conhecer com amigos do Rio de Janeiro a tradicional Festa de Achiropita que acontece em todo o santo mês de agosto desde o ano de 1926 no Bairro do Bixiga, em São Paulo. Entretanto, fui mais um que fui pra festa da santa, mas acabei não entrando na igreja. Fui em um calmo domingo pela manhã em um momento em que precisava de um momento de fé e queria explorar um pouco mais o bairro do Bixiga.

É uma igreja que tem uma história bem bonita de imigrantes italianos que lutaram anos para angariar fundos pela sua construção no início do século XX. Primeiro foi construída uma capelinha que de tão simples e sem imagens mais parecia um quarto grande segundo o que li de mais confiável na web. Depois a mobilização foi crescendo até chegar no que podemos conferir hoje na Treze de Maio. As festas com arrecadações de recursos e mobilização de voluntários continua, mas dessa vez para as obras assistenciais da Paróquia que eu não tive (e gostaria de ter) a oportunidade de conhecer.

Mas ao chegar para conhecer, nem busque pelo sagrado pote de água benta porque aprendi na catequese que entrar em um ambiente sagrado sem fazer sinal da cruz é pecado. Procurando desesperadamente pelo potinho, eis que chega um casal de velhinhos na maior tranquilidade e botou a mão no que eu achei que poderia ser sensor de alarme ou porta que abre e fecha sozinha... mas pasmem: saíram duas gotinhas de água benta! Econômico, correto e sem risco de dengue!

Bom, depois de me sentir ultrapassado pelo casal dos simpáticos idosos, fui fazer as minhas orações. Confesso para vocês que não consegui identificar os santos, mas depois me informei que são quatro os que tem espaço por aqui: São Luis Orione, Nossa Senhora da Ripalta, São Donato e São Felippo D'Agira.

Se você é daqueles que acha vela pra santo algo indispensável em uma igreja, mais uma novidade de fé high tech: aqui elas são digitais! Quer dizer, nem tão digitais assim, mas são eletrônicas. Você não precisa ir no mercado comprar vela, fósforo e isqueiro para acender a sua vela para orar. Aqui você procura do "Velário Digital", deposita qualquer moeda e pimba: uma vela cuja iluminação vem de uma lâmpada se acende por um tempo determinado conforme mostro nas fotos.

Um lugar interessante para conhecer em uma caminhada pelo Bixiga. Me senti confortável nas minhas orações que há tempos estavam atrasadas em uma igreja.
avaliações recomendadas
   
Selecione uma nota

via Android

A rua onde está localizada a igreja é famosa por ser ponto de referência de somente restaurantes italianos.
A igreja por dentro é linda.
Vale a pena conhecer e ao mesmo tempo celebrar uma missa dominical.
Compartilhar experiências reais é nosso objetivo. São filtradas resenhas spam, ofensivas, que não se refiram ao local ou que sejam/pareçam resultado de conflito de interesse.

Fui conhecer com amigos do Rio de Janeiro a tradicional Festa de Achiropita que acontece em todo o santo mês de agosto desde o ano de 1926 no Bairro do Bixiga, em São Paulo. Entretanto, fui mais um que fui pra festa da santa, mas acabei não entrando na igreja. Fui em um calmo domingo pela manhã em um momento em que precisava de um momento de fé e queria explorar um pouco mais o bairro do Bixiga.

É uma igreja que tem uma história bem bonita de imigrantes italianos que lutaram anos para angariar fundos pela sua construção no início do século XX. Primeiro foi construída uma capelinha que de tão simples e sem imagens mais parecia um quarto grande segundo o que li de mais confiável na web. Depois a mobilização foi crescendo até chegar no que podemos conferir hoje na Treze de Maio. As festas com arrecadações de recursos e mobilização de voluntários continua, mas dessa vez para as obras assistenciais da Paróquia que eu não tive (e gostaria de ter) a oportunidade de conhecer.

Mas ao chegar para conhecer, nem busque pelo sagrado pote de água benta porque aprendi na catequese que entrar em um ambiente sagrado sem fazer sinal da cruz é pecado. Procurando desesperadamente pelo potinho, eis que chega um casal de velhinhos na maior tranquilidade e botou a mão no que eu achei que poderia ser sensor de alarme ou porta que abre e fecha sozinha... mas pasmem: saíram duas gotinhas de água benta! Econômico, correto e sem risco de dengue!

Bom, depois de me sentir ultrapassado pelo casal dos simpáticos idosos, fui fazer as minhas orações. Confesso para vocês que não consegui identificar os santos, mas depois me informei que são quatro os que tem espaço por aqui: São Luis Orione, Nossa Senhora da Ripalta, São Donato e São Felippo D'Agira.

Se você é daqueles que acha vela pra santo algo indispensável em uma igreja, mais uma novidade de fé high tech: aqui elas são digitais! Quer dizer, nem tão digitais assim, mas são eletrônicas. Você não precisa ir no mercado comprar vela, fósforo e isqueiro para acender a sua vela para orar. Aqui você procura do "Velário Digital", deposita qualquer moeda e pimba: uma vela cuja iluminação vem de uma lâmpada se acende por um tempo determinado conforme mostro nas fotos.

Um lugar interessante para conhecer em uma caminhada pelo Bixiga. Me senti confortável nas minhas orações que há tempos estavam atrasadas em uma igreja.
Foto opinião do Lucas Nobre sobre Igreja Achiropita
Primeira opinião do lugar

Local que só lembramos devido a festa italiana que é organizada pela igreja. Outro dia como estava passando em frente com meu colega, resolvemos entrar, pois sempre tinha ouvido falar da igreja, passava sempre em frente e nunca tinha entrado;

A entrada principal e onde fica o altar e as imagens é bem pequena compara com outras igrejas, mais é de uma beleza ímpar, com pinturas em todo o teto, um silêncio confortante e pessoas que ali vão fazer suas orações e pedidos. Saindo pelo lado direito vemos a creche e o salão onde é realizado eventos sociais e parte da festa de achiropita, tem tbm uma pequena lojinha que vende artigos religiosos;

Essa igreja foi construida com doações dos imigrantes italianos que lá residiam, mas no começo se chama igreja de São José, depois com o pedido do arcebisto em 1949, como os devotos de Nossa Senhora Achiropita era em maior número no bairro, o padroeiro da igreja foi trocado e o nome alterado para qual conhecemos hoje;

Vale a visita e conhecer tbm todas as obras assistenciais que realizam com o lucro da festa;
Você conhece o Igreja Achiropita? Escreva uma opinião! Dê sua nota! Nota geral
Passe o mouse pelas estrelas clique para dar nota

Opinião
Para enviar fotos ou preencher os campos adicionais, faça seu (Você não perderá a opinião escrita)

Baixe grátis o app do Kekanto Escolha sua plataforma: