O Rong He possui ambiente simples e espaço amplo. A casa tem como foco principal o bom atendimento e a comida farta. A culinária servida é a chinesa e possui muitos pratos vegetarianos. O carro-chefe é o frango xadrez com amendoim e pimentão. Foi eleito o 2º melhor em Restaurantes Chineses de São Paulo.

Avaliar
Salvar
Compartilhar
Divulgue seu estabelecimento aqui
Saiba como
Dicas rápidas Ver todas as dicas
avaliações recomendadas
Nosso sistema de inteligência artificial recomenda automaticamente as opiniões com maior probabilidade de serem relevantes a você. Ele leva em conta diversos fatores como, por exemplo, a qualidade de texto e fotos, e o histórico de publicações do autor. Apenas as avaliações recomendadas são levadas em conta na avaliação geral do estabelecimento.
   
Selecione uma nota

Escondido na Rua da Glória e com uma fachada bem discreta, o Rong He é um restaurante chinês bem diferente do que eu estava acostumado. Cheguei cedo num sábado - aos finais de semana, é crucial estar aqui antes do meio-dia, pois do contrário você não conseguirá mesa tão rápido - e consegui uma mesa para nove pessoas logo ao centro. A primeira impressão que tive era de que o lugar era exótico e se tinha tanto público é porque tem reconhecimento.

Guardei meus primeiros dez minutos aqui para admirar todas as matérias, citações e premiações que o Rong He coleciona nas suas paredes. De tudo que eu li, as duas palavras que mais apareciam era "bom" e "barato". Quem não gosta de ver que está num lugar bem avaliado e com um ótimo custo-benefício?

A decoração daqui é em nenhum momento exagerada, com plantas, estátuas, ornamentos e quadros espalhados pelo recinto. A refrigeração é amena e a iluminação dá um tom gostoso ao ambiente, mesmo que lotado de pessoas.

Movido pela curiosidade, cheguei até ao espaço onde estava indicado a exibição da "arte de fazer macarrão". Não sabia o que esperar, apenas me limitei a observar os vários cozinheiros preparando os guiozas, os harumakis e os macarrões, tudo bem artesanal. Eis que entra um homem bem forte, com uma massa fresca em mãos - vendo a platéia numerosa por detrás do vidro - e começa a manuseá-la, de uma forma única. Esbanjando habilidade, o sujeito gira a massa (que elasticidade!), estica, puxa, divide, faz nó, torce, abre, passa farinha... ufa! É impressionante o resultado disso tudo, só vendo mesmo para entender. Aos curiosos, no site do restaurante (bem completo, diga-se de passagem) há um vídeo da exibição que sintetiza um pouco do que o "artista" executou, mas é só pessoalmente que você tem uma idéia da espessura do macarrão ao final do processo.

Atônito, voltei a mesa e fiquei uns cinco minutos comentando sobre o que vi. Meu tio resolveu pedir uma entrada de amendoins imersos em vinagre (10$) e uma chaleira de chá verde (6$) como entrada. A quantidade de chá serve umas 6 pessoas e o amendoim é bem saboroso ao vinagre, combinação peculiar.

A idéia aqui é vir em grupos grandes, de modo que cada um peça um prato e este seja repartido pelo grupo: todos acabam experimentando (pra não dizer "comer um monte") e sai cerca de 20$ por pessoa. Pedimos uma porção de guioza (pastelzinho chinês) grelhados (22$ por 16 unidades) que vieram coladinhos, além de harumaki, o rolinho primavera (3$ cada). Que experiência: um guioza com massa leve, úmida e saborosa, com um recheio maravilhosa de carne de porco e ervas; um harumaki crocante, recheado de cenoura, repolho e frango e que faz jus ao nome de "primavera".

Seguimos em frente com um udon (eles chamam de macarrão ao estilo japonês, 23$), um arroz shop suey (22$), um yakissoba (29$) e uma porção de frango frito (30$). Que banquete! O udon é leve - acompanhado de algumas bolinhas de carne de porco cozida - bem saboroso e longo, usa-se até uma tesoura para cortar os fios que outrora foram parte do espetáculo; o yakissoba foi um dos melhores que provei, massa gostosa, variedade de legumes e tempero; o arroz shop suey vale cada centavo e o frango frito põe qualquer KFC no chinelo.

O que espanta aqui é a quantidade de comida que vem, serve mesmo um batalhão. E a qualidade não fica atrás, pois é tudo muito bem preparado, com ingredientes frescos e aquele gostinho de comida caseira, feita com cuidado e por quem sabe o que faz. No fim, deu até dó ver o quanto de comida ainda sobrou na mesa.

O cardápio está em mandarim e em português (as traduções são melhores do que as de outros estabelecimentos) e conta com mais de 150 opções (alguns são outras versões de um mesmo prato). O atendimento foi bom e rápido, mas ainda tem que melhorar: faltou o carisma no atendente e a segurança em mencionar cada prato. Na hora de pagar, chamo a atenção para o fato de aqui só aceitar dinheiro e cartão de débito. Venha preparado!

Meu parecer é que esse é um dos segredos da liberdade, escondido e que muitos passam por aqui sem perceber (ou até evitam porque a Glória não tem a propaganda da Galvão).

Se eu voltaria? Sem sombra de dúvidas, acompanhado de um grupo bem grande para poder pegar inúmeros pratos. Pode não ser a melhor culinária chinesa do pedaço, mas que proporciona uma experiência gastronômica e tanto eu afirmo com certeza!
Foto opinião do Wiliam Kiyoshi Uemura Matsubara sobre Rong He - Liberdade
Compartilhar experiências reais é nosso objetivo. São filtradas resenhas spam, ofensivas, que não se refiram ao local ou que sejam/pareçam resultado de conflito de interesse.

Ótimos pratos e com temperos marcantes. Mas no caso dos lamens e yakissoba eles abusam na massa e os outros acompanhamentos (carnes, algas, etc) vem muito menos. O cliente acaba ficando estufado com a massa, ao invés de ser uma experiência completa.

Pra beber opte por pedir a jarra de suco de 1,5l e vá de galera que o preço sai mais justo.
Sinceramente Esperava Muito Mais!!!!
Fui conhecer devido as muitas opiniões positivas e não achei nada especial.
Esperei muito por uma mesa.
O atendimento é atrapalhado.
A comida não é boa.
Pedimos um Yakissoba de Frutos do Mar, quase não tinha proteína, um absurdo! O sabor não é bom! É pequeno, no que dizem servir bem.
E também uma porção de camarões fritos, vem pouco camarão, muito caro e ensopado no óleo.
A jarra de suco ninguém sabia dizer a quantidade em ml.
Acabamos pedindo duas jarras e foi demais para 4 pessoas, as jarras são imensas. O suco também foi muito caro!
Não chega aos pés dos Restaurantes Chineses de Salvador-Ba.
Não gostei!

via Android

O Rong He da Liberdade foi o terceiro e ultimo restaurante do Yakisoba Tour e eu tive a oportunidade de conhecer a casa durante o evento.
O restaurante possui decoração bem tradicional e similar a outros restaurantes orientais de região, mas se destaca pela cozinha envidraçada que permite os clientes observarem os pratos sendo preparados.
Ocasionalmente é feito o show ao vivo de preparação de massas, enfatizando o ponto forte do restaurante: pratos que levam massa chinesa.
A massa do macarrão que vai no Yakissoba também é feita lá mesmo e é bem saborosa.
Quando o Yakissoba foi servido em nossa mesa, me assustei com a fartura e fiquei ainda mais impressionada em saber que aquela porção é a normal, que pedimos pelo cardápio.
O gigantesco prato de Yakissoba misto serve 3 pessoas tranquilamente e custa a bagatela de 30 reais.
O custo benefício é altíssimo, já que alem de bom preço, ele também é delicioso.
Não sou fã de Yakissoba, mas esse eu voltarei para comer com a minha familia.
O frango e a carne estavam bem macios, o molho bem encorpado e temperado. Os legumes ajudaram a equilibrar o sal dos temperos, e o pimentão vermelho deu uma cor a mais no prato.
Voltarei ao restaurante para provar o Yakissoba de frutos do mar e o pastel de camarão com cebolinha, que também são bem generosos.

via iPhone

Conheci no evento do yakissoba tour.

Restaurante chinês com ambiente bem simples e tradicional, limpo e familiar.

Atendimento bom, mas um pouco atrapalhado. Os garçons estavam um pouco desatentos.

O yakissoba em si, não achei ruim, mas também não achei excelente. Gostei.
Voltaria caso estivesse na região, acompanhada de amigos e com bastante fome, visto que o atrativo do restaurante são os preços bem baratos e porções bem fartas.
Uma porção de yakissoba que serve tranquilamente 3 ou 4 pessoas, na faixa dos R$ 35. Refrigerante R$ 5.

Dá pra ver o cozinheiro fazendo o yakissoba na hora e isso é bem bacaninha, acredito que seja o diferencial do estabelecimento, não chega a ser um show, mas dá pra dar aquela analisada ao estilo "vigilância sanitaria" e ver o estado na cozinha.

No mais, achei bacaninha. Recomendo.

Eu já tinha ido ao Rong He da rua Tutóia. Muito bom! O III Yakissoba Tour me deu a oportunidade de conhecer a unidade da rua da Glória que, de maneira alguma, deixa a desejar. Essa unidade fica no coração da Liberdade, então concorre com outros tantos restaurantes da região e acho que a localização dele é um pouco ingrata. As outras opções ficam bem próximas ao metrô, enquanto para chegar no Rong He é preciso descer uma rua.

Mesmo sendo um pouquinho distante da estação, vale ir lá. O yakissoba é delicioso, barato e serve facilmente três pessoas. Além disso tem uma Apresentação de Arte de Macarrão. Durante essa apresentação o chef - não sei se fala chef também para culinária chinesa - faz movimentos legais com a massa.

O atendimento é ótimo e o restaurante é muito família. Nas mesas ao redor da nossa só tinham famílias. No final, cada pessoa acaba pagando uns 20 reais com bebida, se pede o yakissoba. O cardápio é bem variado! Tem várias opções culinária oriental. Voltarei lá com certeza!

via iPhone

Especialista em Restaurantes Chineses com 22 opiniões na categoria

Aumentei uma estrelinha, pois o guioza no vapor tava muito bom. Ao passo que o macarrão com wantan de camarão continua massento, e o caldo insosso. Mas pelo preço, vale a pena.
O chef estica a massa numa vitrine, é um show à parte.

Dei uma estrela a mais pelo show do chef fazendo macarrão e pelo que meus amigos do KK falaram sobre alguns pratos muito bons que eles comeram em outras vezes. Na realidade minha experiência foi bem regular.
O ambiente é simples, mas para mim isso não é problema. O atendimento foi um pouco desatencioso.
O yakisoba não estava com o macarrão no ponto que deveria estar(estava meio mole e pesado), o molho estava insosso,nada saboroso. Também percebi muito óleo, tanto na travessa, quanto no meu prato. Voltaria lá para provar outros pratos,mas o yakisoba não mais.

Ola pessoas, estou aqui pra falar sobre o meu restaurante preferido!!! O yakisoba dele eh uma delicia, vale super a pena comer....e o preco:: barato! O prato eh grande, eu consigo dividir com mais 3 mulheres, mas se eu for com meu namorado que come bem seria so pra mim e pra ele, na minha opinião eu acho o yakisoba tradicional mais gostoso do que o de frutos do mar, esse prato custa 31 reais.

Bom vale a pena experimentar a porcao de wan tun de camarao que eh uma delicia, super crococante, mais ou menos em torno de uns 28 reais.

Outro prato que eu gosto bastante eh o guiosa misto meio carne suína meio camarão ao vapor, esse prato vem 10 unidades e o parto custa 30,00. Eh o melhor guiasa que eu ja comi da minha vida...eu adoro simplesmente!!
Eu gostei bastante também do guiasa frito, ele eh muito bom também...

A sopa de algas tambem eh muito saborosa, pra quem curte uma sopinha vale a pena experimentar.

Bom pra quem adora comer um docinho depois da janta vale a pena pedir a sobremesa deles que a de macarrão que se coloca açúcar com canela e mel em cima, em uma delicia..eu esqueci o nome...mais eh so vc falar desse doce que ja vai saber qual eh...

Custo benefico, vale super a pena.....Ah melhor avisando eles não passam cartão de credito, SOMENTE VISA DEBITO ou DINHEIRO

em relação ao preco depende muito, quantos pratos vc vai pedir ou quantas pessoas vão.

via iPhone

Um dos melhores restaurantes chineses da Liberdade. Sempre lotado aos fins de semana a partir das 11h30, se não quiser uma longa espera chegue cedo. Se não for possível, entre, pegue a senha - sem enrolar, chineses esperam que você seja eficiente - e aguarde do lado de fora. Demora mas vale muito a pena, peça guiozas grelhados ou baozi (pão extremamente fofinho com recheio de carne de porco) que não irá se arrepender. O chef preparando macarrão ao vivo é um plus, disponível e disputado nos finais de semana.

Pra quem está acostumado a comer em restaurante chinês de caixinha, o Rong He é uma novidade. Nada de abrasileiramento do cardápio. É comida chinesa pra chinês ver, num pedacinho da nossa Chinatown, Liberdade!
Gosto de levar meus amigos que vêm de outros estados, e eles apreciam essa originalidade. O cardápio é extenso e tem opção para vegetarianos. As atrações à parte são: a cozinha aberta para ver o show do chef preparando a massa na hora e alguns pratos que são acompanhados por uma tesoura pra cortar o macarrão.

via iPhone

Yakisoba maravilhoso e serve 3 pessoas com fome moderada. Fila de espera se for depois das 13... Longa e cansativa. O chá de entrada ser cortesia é bem contraditório, segue o esquema:
Se você pedir alguma pedida (refri, água, etc) você não paga o chá, porém também deve pagar a taxa de 10%, caso não, terá que pagar 6,00 reais pelo chá. Estranho não?! O.o
Exibindo 14 opiniões | Total de 98 opiniões
5 opiniões não são recomendadas
Você conhece o Rong He - Liberdade? Escreva uma opinião! Dê sua nota! Nota geral
Passe o mouse pelas estrelas clique para dar nota

Opinião
Para enviar fotos ou preencher os campos adicionais, faça seu (Você não perderá a opinião escrita)

Baixe grátis o app do Kekanto Escolha sua plataforma: