EGAS - Escola de Gastronomia Aires Scavone

nota 3.5 de 5 em 2 opiniões
| Rank: 787º de 1145 | Restaurantes


Opinião em destaque
Primeira opinião do lugar

Ao longo do curso, eles preparam alguns jantares para convidados. No último do ano, resolvi clicar tudo e mostrar pra galera.O casal Cla e Jonas me fez companhia naquela noite. Assim como eu, chegaram varados de fome e já foram bebericando o vinho branco da Salton que era servido.

O salão estava cheio de gente: pais, amigos, namorados e tudo mais. Todo mundo feliz e se divertindo com os futuros chefs que volta e meia pintavam no salão todo paramentados e “fantasiados”.

O jantar tinha um tema bem interessante: comida brasileira. Cada prato revisitava uma região do país. A primeira entrada veio do Espírito Santo, uma bela moqueca capixaba, temperada na medida e servida em grande estilo.Em seguida, mais uma entrada. Um bobó de camarão, bem baiano, bem apimentadinho.Prato principal? Que nada, tinha mais uma entrada. Ou seria o primeiro prato?

O que importa é que o prato chegou abalando. Uma releitura do escondidinho Mineiro. Ao invés da carne seca vinha o charque. E pra decorar ainda rolou uma couve frita. Ah, e eu reparei que o escondidinho era meio às avessas, visto que a carne não vinha embaixo. De qualquer forma, o sabor estava tudo a ver!Agora sim, o prato principal, que subiu a serra gaúcha para se inspirar. Um “Galetinho Chique”.

Massa, galeto, polenta, salada e até um queijinho. O Jonas quase pediu pra repetir.Pra finalizar a noite, uma sobremesa encantadora: Brasil de Norte a Sul. Uma idéia sensacional e linda. No fundo do prato, o chocolate desenhava o contorno do país e em cada região, uma sobremesa típica. Demais! Viajei no prato.

Comecei no norte com um Chocolate Recheado com Bacuri e Coberto com tapioca, fui ao Nordeste provar um Manjar com ameixa e cocada, e dei uma parada no centro-oeste pra saborear o Parfait de Pequi. A viagem ainda iria passar por Minas Gerais, onde eu babaria por um petit gateau de Goiaba com Velouté de Queijo. Tudo terminava pertinho de casa, no sul do país, com o bom e velho sagu com Creme Inglês. Impossível dizer qual foi o melhor.

Todos estavam demais! Tá tá tá, vou confessar que o Petit de Goiaba me fez sonhar mais doce.A noite terminou e só posso dizer uma coisa para a Jana e seus colegas: Parabéns! Parabéns mesmo! Porque a noite estava excelente. Inesquecível para todos que estiveram ali, cheios de orgulho como eu.
avaliações recomendadas
   
Selecione uma nota

Minha experiência na EGAS se refere apenas a uma aula que minha filha assistiu.

Agora nas férias de julho eles tem aulas de gastronomia para crianças. Cada dia uma receita diferente e uma temática diferente.

Levei minha filha num dia e gostei muito.Todos foram super simpáticos lá dentro da escola, orientando as crianças super bem sobre os procedimentos de higiene logo no começo.

Minha filha voltou super animada, pois aprendeu várias receitas com o Chef Aires e adorou!

Com certeza nas próximas férias ela irá fazer um curso no EGAS novamente.
Compartilhar experiências reais é nosso objetivo. São filtradas resenhas spam, ofensivas, que não se refiram ao local ou que sejam/pareçam resultado de conflito de interesse.
Primeira opinião do lugar

Ao longo do curso, eles preparam alguns jantares para convidados. No último do ano, resolvi clicar tudo e mostrar pra galera.O casal Cla e Jonas me fez companhia naquela noite. Assim como eu, chegaram varados de fome e já foram bebericando o vinho branco da Salton que era servido.

O salão estava cheio de gente: pais, amigos, namorados e tudo mais. Todo mundo feliz e se divertindo com os futuros chefs que volta e meia pintavam no salão todo paramentados e “fantasiados”.

O jantar tinha um tema bem interessante: comida brasileira. Cada prato revisitava uma região do país. A primeira entrada veio do Espírito Santo, uma bela moqueca capixaba, temperada na medida e servida em grande estilo.Em seguida, mais uma entrada. Um bobó de camarão, bem baiano, bem apimentadinho.Prato principal? Que nada, tinha mais uma entrada. Ou seria o primeiro prato?

O que importa é que o prato chegou abalando. Uma releitura do escondidinho Mineiro. Ao invés da carne seca vinha o charque. E pra decorar ainda rolou uma couve frita. Ah, e eu reparei que o escondidinho era meio às avessas, visto que a carne não vinha embaixo. De qualquer forma, o sabor estava tudo a ver!Agora sim, o prato principal, que subiu a serra gaúcha para se inspirar. Um “Galetinho Chique”.

Massa, galeto, polenta, salada e até um queijinho. O Jonas quase pediu pra repetir.Pra finalizar a noite, uma sobremesa encantadora: Brasil de Norte a Sul. Uma idéia sensacional e linda. No fundo do prato, o chocolate desenhava o contorno do país e em cada região, uma sobremesa típica. Demais! Viajei no prato.

Comecei no norte com um Chocolate Recheado com Bacuri e Coberto com tapioca, fui ao Nordeste provar um Manjar com ameixa e cocada, e dei uma parada no centro-oeste pra saborear o Parfait de Pequi. A viagem ainda iria passar por Minas Gerais, onde eu babaria por um petit gateau de Goiaba com Velouté de Queijo. Tudo terminava pertinho de casa, no sul do país, com o bom e velho sagu com Creme Inglês. Impossível dizer qual foi o melhor.

Todos estavam demais! Tá tá tá, vou confessar que o Petit de Goiaba me fez sonhar mais doce.A noite terminou e só posso dizer uma coisa para a Jana e seus colegas: Parabéns! Parabéns mesmo! Porque a noite estava excelente. Inesquecível para todos que estiveram ali, cheios de orgulho como eu.
Foto opinião do Diego Fabris sobre EGAS - Escola de Gastronomia Aires Scavone
Você conhece o EGAS - Escola de Gastronomia Aires Scavone? Escreva uma opinião! Dê sua nota! Nota geral
Passe o mouse pelas estrelas clique para dar nota

Opinião
Para enviar fotos ou preencher os campos adicionais, faça seu (Você não perderá a opinião escrita)