BM&FBOVESPA Bolsa de Valores

nota 4.4 de 5 em 5 opiniões
|

Bancos

Mais na região Como chegar

Endereço: Rua Quinze de Novembro, 275 - Centro, - São Paulo , SP - Brasil - 01013-000

Telefone: 011 3101-0009

Sou dono deste estabelecimento

Em 23 de agosto de 1890 foi fundada por Emílio Rangel Pestana a Bolsa Livre, que seria o embrião da Bolsa de Valores de São Paulo. A Bolsa Livre encerrou suas atividades em 1891, em decorrência da política do Encilhamento. Quatro anos depois, em 1895, foi aberta a Bolsa de Fundos Públicos de São Paulo. É ponto turístico de valor internacional.

Avaliar
Salvar
Compartilhar


Dicas rápidas Ver todas as dicas
Opinião em destaque

via Android

A BM&FBOVESPA é um lugar maravilhoso de conhecer, saber mais a respeito, antigamente quando existia o pregão era possível visitar, ainda hoje, mesmo não existindo mais o pregão é possível conhecer.
Na praça António Prado há um espaço de exposições, que muda de Tempra em tempos e também é possível agendar uma visita monitorada.
Há uma biblioteca com acervo muito bacana, há uma lojinha com brindes da BMF que os visitantes pode comprar queríamos quiserem.
São pessoas educadas, bem vestidase atendem muito bem.
Lá também é uma opção muito boa para se trabalhar.
avaliações recomendadas
   
Selecione uma nota

via Android

A BM&FBOVESPA é um lugar maravilhoso de conhecer, saber mais a respeito, antigamente quando existia o pregão era possível visitar, ainda hoje, mesmo não existindo mais o pregão é possível conhecer.
Na praça António Prado há um espaço de exposições, que muda de Tempra em tempos e também é possível agendar uma visita monitorada.
Há uma biblioteca com acervo muito bacana, há uma lojinha com brindes da BMF que os visitantes pode comprar queríamos quiserem.
São pessoas educadas, bem vestidase atendem muito bem.
Lá também é uma opção muito boa para se trabalhar.
Compartilhar experiências reais é nosso objetivo. São filtradas resenhas spam, ofensivas, que não se refiram ao local ou que sejam/pareçam resultado de conflito de interesse.

Em 23 de agosto de 1890 foi fundada por Emílio Rangel Pestana a Bolsa Livre, que seria o embrião da Bolsa de Valores de São Paulo. A Bolsa Livre encerrou suas atividades em 1891, em decorrência da política do Encilhamento. Quatro anos depois, em 1895, foi aberta a Bolsa de Fundos Públicos de São Paulo, que deu continuidade à evolução do mercado de capitais brasileiro.

No ano de 1934, a bolsa instalou-se no Palácio do Café, localizado no Pátio do Colégio. No ano seguinte, seu nome foi alterado para Bolsa Oficial de Valores de São Paulo.

Até meados da década de 1960, a Bovespa e as demais bolsas brasileiras eram entidades oficiais corporativas, vinculadas às secretarias de finanças (atuais Secretarias da fazenda estaduais). Eram 27 bolsas de valores em todo o Brasil, dos governos estaduais e compostas por corretores nomeados pelo poder público.

Com as reformas do sistema financeiro nacional e do mercado de capitais implementadas nos anos de 1965 e 1966, as bolsas assumiram a característica institucional, transformando-se em associações civis sem fins lucrativos, com autonomia administrativa, financeira e patrimonial.

A antiga figura individual do corretor de fundos públicos, que eram os corretores autônomos de confiança de cada investidor, foi substituída pela da sociedade corretora ou as atuais corretoras de valores, empresa constituída sob a forma de sociedade por ações nominativas ou por cotas de responsabilidade limitada.

Em 1967, a entidade passou a ser denominada Bolsa de Valores de São Paulo.

Desde o início dos Mercado de capitais no Brasil, durante a fase final do período colonial, a Bolsa de Valores do Rio de Janeiro foi o grande mercado de ações do país. No entanto, a partir da década de 1970, em decorrência dos efeitos do Crash de 1971, começou a perder espaço gradativamente para a Bovespa. Em 2000, as duas bolsas comandaram a assinatura de um acordo de integração das nove bolsas de valores brasileiras. O documento estabelecia qua as ações de companhias abertas e os títulos privados em geral seriam negociados na Bovespa, enquanto a BVRJ se encarregaria do mercado eletrônico de títulos da dívida pública, lançado em agosto daquele ano.

No ano 2000, as bolsas de valores de São Paulo, do Rio de Janeiro, de Minas-Espírito Santo-Brasília, do Extremo Sul, de Santos, da Bahia-Sergipe-Alagoas, de Pernambuco, da Paraíba, do Paraná e a Bolsa Regional foram integradas. Desde então a Bovespa passou a concentrar toda a negociação de ações do Brasil, e as bolsas regionais mantiveram as atividades de desenvolvimento do mercado e de prestação de serviços às suas praças locais.

A Bolsa de Valores de São Paulo é uma entidade auto-reguladora que opera sob a supervisão da Comissão de Valores Mobiliários - CVM.

A Bovespa oferece visitas monitoradas gratuitas a todas as pessoas interessadas em conhecer o funcionamento da Bolsa tanto na teoria quanto na prática. Além de agradável, o passeio é muito rico em informações sobre o mercado de ações e de futuros e proporciona ao visitante uma visão geral sobre o assunto.
Bolsa de Valores de São Paulo.
"Bolsa de Valores de São Paulo."
Primeira opinião do lugar

Um passeio bem legal para fazer no centro de São Paulo, é a visita à Bovespa. Eu fiz super por acaso. Fui no CCBB e quando passei na frente da Bovespa tinha um monitor falando sobre isso. Foi super interessante!!! A visita é gratuita e monitorada, dá para entender bem o funcionamento da Bolsa, tanto na prática quanto na teoria. Depois do passeio à Bolsa, vá tomar um cafezinho no CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil) que é lindo e sempre tem algo legal por lá
Você conhece o BM&FBOVESPA Bolsa de Valores? Escreva uma opinião! Dê sua nota! Nota geral
Passe o mouse pelas estrelas clique para dar nota

Opinião
Para enviar fotos ou preencher os campos adicionais, faça seu (Você não perderá a opinião escrita)