Divulgue seu estabelecimento aqui
Saiba como
Dicas rápidas Ver todas as dicas
avaliações recomendadas
Nosso sistema de inteligência artificial recomenda automaticamente as opiniões com maior probabilidade de serem relevantes a você. Ele leva em conta diversos fatores como, por exemplo, a qualidade de texto e fotos, e o histórico de publicações do autor. Apenas as avaliações recomendadas são levadas em conta na avaliação geral do estabelecimento.
   
Selecione uma nota

via iPhone

Especialista em Restaurantes Brasileiros com 22 opiniões na categoria

É um restaurante de comidas triviais, muito simples, bem feitos, porém custando 3x mais que em outros lugares que servem a mesma coisa. Até a quantidade é pouca. Paga-se pelo serviço, mais pra um restaurante de comida mais sofisticada, porque pela comida, nada é extraordinário.
Pratos de todos os dias, por 42 reais.
Sardinha frita, bife acebolado, carne moida com ovo cozido, acompanha arroz, feijão, farinha de mandioca, pimentinha e vinagrete, estes 3 últimos vem uma quantidade de uma colher de sopa. Caro pra pouca quantidade e pelo tipo de comida.
Foto opinião do Gloria sobre Bar da Dona Onça
Compartilhar experiências reais é nosso objetivo. São filtradas resenhas spam, ofensivas, que não se refiram ao local ou que sejam/pareçam resultado de conflito de interesse.

Já tinha ouvido falar desse bar/restaurante e aproveitei minha passagem pelo Centro para almoçar com uma amiga lá. Chegamos um pouco depois do meio dia e ainda pudemos escolher a mesa. O bar fica no térreo do Edifício Copan e tem tanto mesas internas como externas. O ambiente é gostoso e o atendimento foi bom. O cardápio possui pratos populares da cozinha paulistana, brasileira e alguns da cozinha internacional e dentre os mais baratos estão os PF's (prato feito). O preço é alto e só não fui para outros itens do cardápio por conta do preço. Escolhi um PF com bife acebolado, arroz, feijão, couve e farofa por R$ 42,00. O bife estava muito bom, pouca gordura e a cebola estava dourada e cremosa, uma delícia! O restante estava bem normal. Pedi para olhar a carta de vinhos e há poucas opções de vinho em taça e adivinhe? Caras também. Optei por um merlot Pizzato da serra gaúcha que veio numa garrafinha de 1/4, R$ 25,00.
Foi bom conhecer, voltaria se fizessem um menu executivo para o almoço, assim o custo benefício seria melhor! ;)

O bar da dona onça se mostra tímido escondido embaixo do Copan, no centro velho de São Paulo, mas aos poucos vai ganhando empatia junto ao desenrolar de dois destinos que resolveram se cruzar, entre conversas e cervejas, o clima da boemia romântica da cidade se instaura nos corações que ao final resolvem ir embora juntos e permanecer juntos, sabe-se lá o motivo, não importa; Não deixe de visitar este incrível lugar e ter contato com a energia amorosa que deixamos por lá ;)

via Windows Phone

Lugar bonito, mas incrivelmente caro. Pedimos uns canapés de carne, que pela descrição parecia ser algo fora do comum, mas era carne crua temperada, nada que explodisse sensações. Demorou mais de 40 mins pra trazerem essa entrada, ficamos putos e fomos embora.

Passei ontem no Bar da Dona Onça rever amigos que não via há algum tempo. Já tinha ouvido falar bastante do bar. Ele fica no Copan, no Centro de São Paulo. Uma área que sedia excelentes opções gastronômicos e que nem todos sabem disso.
O bar é super bem decorado, seguindo o tema da onça, e é um ambiente muito aconchegante seja para um happy hour no final da tarde ou então um almoço com o pessoal da empresa.
A culinária deles segue o estilo do marido da proprietária, Jefferson Rueda, de trazer elementos caipiras à cidade grande.
Dividi com meus amigos três pratos: pancetta de porco fresca frita, croquetes de carne de panela, croc milanesa.
A pancetta, foi a melhor pancetta (R$39) que já comi até hoje. Cubos de pancetta com um perfeito mix de gordura x carne. Os croquetes de carne de panela (R$29) também seguiram a mesma linha e estavam deliciosos. Melhor ainda com a pimentinha da casa que vem junto.
O que desapontou um pouco foi o croc. Um bife a milanesa com dois potinhos de molho por R$41.
Resumindo, foi uma noite agradável em um lugar super bem decorado. O que desagradou um pouco, a mim e as pessoas que foram comigo, foi a relação custo x benefício.
Mas o croquete de carne de panela vale provar!

O Bar da Dona Onça é super tradicional em São Paulo, tem uma chef de cozinha mega reconhecida (Janaína Rueda) e já ganhou vários prêmios desde cardápio-referência em comida de bar, a de melhor bar etc. Além disso, está localizado no Copan, um dos maiores símbolos da capital paulistana. Sim, o bar é super charmoso e tem um menu variado e exclusivo em se tratando de comida de buteco.

Porém, meu caro, prepare seu bolso porque o lugar é carinho. Nós pedimos um petisco exclusivo do menu, chamado Croc Milanesa (bife à milanesa cortado em cubos com dois molhos), que custou em média R$ 35-40 e não tinha nada demais.

Logicamente o menu é completo, com petiscos, peixes, carnes, feijoada, PFs etc. Enfim, para todos os tipos de gosto, mas não os tipos de bolso e público. De qualquer maneira, é um bom lugar para tomar uma cervejinha gelada na madrugada, quando o Centro da cidade está mais vazio mas não perde seu charme da noite. Mas, não, não foi um lugar que super me conquistou.

via iPhone

Finalmente fui conhecer o Bar da Dona Onça!
Era um sábado por volta das 13h e havia fila de espera. Dica #1: chegue por volta desse horário e peça uma caipirinha de melancia com manjericão (R$ 22 a feita de cachaça) para tornar a espera agradável.
Dá pra pedir petiscos também, mas não há mesa para apoiar.

Conseguimos uma mesa para dois depois de 20min de espera (para grupos demora mais!).
Pedi um picadinho de mignon que acompanha arroz, farofinha, ovo frito e tartar de banana. Sai por /- R$ 50 e é bem sevido!

Os pratos demoram e o apesar do lugar bem cheio, os garçons foram muito simpáticos. Tenha paciência para demoras.

Conta para 2 pessoas, com 1 entrada, com 2 pratos, 3 caipirinhas e 1 refrigerante: R$ 95.

Boa dica para levar forasteiros pra um lugar bem brasileiro com boa caipirinha e boa comida bem no coração de SP. :)
(Apesar de que em termos de custo-benefício, o Mocotó ainda ganha!)

Estive no Bar da Dona Onça na segunda-feira de Carnaval. Fui super mal recebida pela hostess, grossa e mau-humorada. Sou gestante e reivindiquei meu direito de prioridade e ela não recebeu nada bem a minha solicitação. Cerca de meia hora depois, meu marido foi conferir como estava a lista e também foi mal tratado. Fomos embora.

No térreo do Copan fica o Bar da Dona Onça, um dos redutos gastronômicos mais premiados da cidade. O casal de chefs Janaína (a “Dona Onça”) e Jefferson Rueda faz um excelente trabalho no comando das panelas, criando versões próprias em porções de boteco de clássicos do interior paulista, como carne moída com quiabo, picadinho, dobradinha e rabada com agrião, além de oferecer uma grande quantidade de petiscos, um melhor que o outro.

Casa ainda oferece bom cardápio de massas artesanais, arrozes e carnes. Quem gosta de feijoada diz que a da Dona Onça está entre as melhores de São Paulo. Como eu não gosto, não consigo opinar a respeito.

O Bar da Dona Onça, que na minha opinião só tem “bar” no nome – lembra mais um restaurante com ambiente moderno, descontraído e tranquilo, frequentado por amigos, famílias inteiras, artistas/intelectuais que trabalham/moram na região e gringos, muitos gringos – é o atual dono do prêmio de “Melhor Comida de Bar” da cidade, o que significa casa sempre cheia e comida de qualidade.

Com intenção de popularizar o vinho, a casa possui tintos e brancos em taça no lugar do tradicional chopp. Para isso, foi necessário criar um sistema de acondicionamento da bebida que a deixasse também na temperatura ideal.

A carta de cervejas importadas oferece excelentes rótulos da Alemanha, Bélgica e Holanda, a preços atraentes. A La Trappe, minha preferida, é oferecida em garrafas de 750ml, com destaques para as versões Quadrupel e White Trappist (R$ 59,00 cada).

Escolhemos o Bar da Dona Onça para almoçar em plena Sexta-Feira Santa. Bom movimento, mas a casa não estava cheia. Prontamente nos conseguiram uma mesa, e após uma boa olhada no cardápio decidimos pedir alguns petiscos para compartilhar.

O atendimento é rápido e eficiente, mas não espere sorrisos dos garçons – embora eu tenha conseguido certa interação com um deles no final, que até me contou que a avó faz uma sensacional goiabada cascão com queijo!

Primeiro ponto positivo do restaurante: chamamos o garçom e perguntamos “se quatro porções seriam suficientes para 2 pessoas”. A resposta óbvia de qualquer restaurante que pensa apenas em VENDER: “Sim, claro”. A resposta da casa: “Não, é muita comida”. Lição 1: Honestidade fideliza clientes, e eles sabem disso.

Começamos com a ótima “Couve flor à milanesa igual da minha vó” (R$ 29,00) e a sensacional “Almôndegas à moda antiga” (R$ 36,00). A couve flor empanada é sequinha, saborosa e macia por dentro. As almôndegas, além de saborosas, vêm numa panelinha com um molho feito à base de tomates, especiarias e cenouras, que lembra o gostinho daquele molhinho que nossas avós costumavam fazer. Gosto de infância.

Para beber, Suco de Uva Integral – a casa trabalha com a linha da São Bento, servidos em copos de 350ml (R$ 10,00). Excelente tinto, enquanto o de uva branca estava com acidez em excesso, desagradável ao paladar.

Vale lembrar o que sempre digo sobre sucos integrais: para apreciar a bebida, lembre-se de pedi-la “sem pedras de gelo”. O sabor permanece intenso, já que o gelo deixa a bebida aguada.

Ao final das 2 porções, ainda tínhamos alguma fome, e decidimos provar a deliciosa “Linguiça de porco artesanal com vinagrete e pão francês” (R$ 39,00). Artesanal, porção bem servida, frita, recheada com boa carne de porco, bem temperada, vem com gordura na medida certa para realçar os sabores e é guarnecida de mini pãezinhos e um potinho de vinagrete com bastante azeite.

Caso você queira ficar apenas nos petiscos, vale dizer que todos são bem servidos, ideais para uma pessoa. Duas porções são suficientes para um casal. Se estiver com um grupo de amigos, o ideal é pedir várias para compartilhar e assim provar várias receitas.

Não poderíamos ir embora sem provar as sobremesas, mesmo num cenário de total gula. Pedimos os “Mini churros com doce de leite” (R$ 16,00) – massa leve, fritos à perfeição, polvilhados com açúcar e canela. O doce de leite, que chega à mesa pelando de quente, é extremamente doce se comido separado, mas casa perfeitamente se comido junto com o doce espanhol.

Valor da conta: 4 sucos, 3 porções, 1 sobremesa, serviço = R$ 176,00. Não é um lugar barato, mas vale cada centavo – você gasta, mas leva o que paga.

Para garantir a tranquilidade dos clientes, a casa tem seguranças particulares.

O Viajante Comilão - http://oviajantecomilao.blogspot.com
Foto opinião do Daniel Neves - O Viajante Comilão sobre Bar da Dona Onça
Primeira opinião do lugar

Bem no centro de Sao paulo, esta o Bar da Dona Onça, de Janaína Rueda, Julio César de Toledo Piza e Sissi Spitaletti. Embaixo do Edifício Copan o bar se destaca pelos otimos pratos e petiscos do interior paulista.
Para quem gosta nao deixe de pedir pancetta de Porco Fresca Frita. Ja quem quer pedir prato, sugiro Picadinho de arroz, ovo frito e tartar de banana.

A noite, o lugar eh agitado e agradavel.
Exibindo 14 opiniões | Total de 88 opiniões
5 opiniões não são recomendadas
Você conhece o Bar da Dona Onça? Escreva uma opinião! Dê sua nota! Nota geral
Passe o mouse pelas estrelas clique para dar nota

Opinião
Para enviar fotos ou preencher os campos adicionais, faça seu (Você não perderá a opinião escrita)

Baixe grátis o app do Kekanto Escolha sua plataforma: