73 opiniões Nota 3.8 de 5

Wall Street Bar

Bares e Botecos

  | Rank: 29º de 1146
Wall Street Bar
Mais na região Como chegar

Endereço Rua Jeronimo da Veiga, 149, São Paulo , SP - Brasil - 04536-000

Telefone (11) 307... Clique para ver

Preço por pessoa $$$$  (De R$51 até R$100)

Ambiente agradável, descontraído e animado. O touro, símbolo de Wall Street, é a grande sensação visual do bar. A casa trabalha com um grande diferencial: opera em tempo real os preços das bebidas, semelhante à bolsa de valores, onde telões mostram a oscilação dos preços. Com telas touch nas mesas, os clientes realizam pedidos de bebidas, comidas (preço fixo) e até mesmo músicas.

Dicas Ver todas as dicas
Já foi nesse lugar? Compartilhe sua experiência! Escrever opinião
Opiniões
Wall Street Bar é um bar localizado na Vila Olímpia, tive oportunidade de conhecer em um HH.
O que mais chama atenção no bar é o estilo e o seu conceito parecido com a Bolsa de valores de NY, uma enorme tela mostra as variações de preços de Comidas e Bebidas, ou seja você pode comprar Fritas por (R$5,00) ou por (R$ 35,00), o mais interessante são as variações das cervejas.

O atendimento é ótimo, na mesa uma tela touch screen e um passcard para comprar o que você quiser no momento em que quiser, os atendentes são rápidos o que facilita a interação com o bar.

Ótima escolha para HH, ou ir com a galera bater papo sobre esportes náuticos. rs

Recomendo'
Eu já tinha ouvido falar na experiência do Wall Street Bar. O preço das cervejas mudam como se fosse uma bolsa de valores. Me disseram que o local era carinho e realmente é. Também disseram que é legal, mas, honestamente, não achei essas coisas toda. Não fui ao andar de cima, onde parecia rolar uma balada. Fiquei embaixo e achei pequeno.

O atendimento foi bom, mas já entrei de cara feia no lugar após uma sutil piada do segurança. Perguntei quanto seria para entrar e ele disse que R$ 50 de consumação. Mostrei que tinha uma criança com o grupo e ele soltou: "Ela entra com um dos pais. Você é o pai?". Apontei para meu vizinho e falei: "Ele é o pai!" E o segurança ficou na dele. Quis me intimidar apenas por ter cara de menor de 18 anos.

As cervejas realmente mudam de preço, mas mesmo assim achei elas caras. Pensei que o painel era mais divertido. Ele é meio sem graça. As cervejas que estão em alta ficam verde, as que estão em baixa ficam vermelhas e as que não estão mudando de preço ficam amarelas. O som do local muda o tempo inteiro. Você vai ouvir pop, rock, sertanejo... Acho que essa mistura é o legal do Wall Street. No geral, vale a experiência. Pessoalmente não é muito o meu estilo.
Uma comemoração de despedida merece um lugar legal, e assim foi a despedida da minha prima para Austrália... um bar divertido com comida e bebida boa!
O conceito do bar é muito bom se você procura algo diferente que não encontra nos bares que já conhece está na hora de fazer uma visita ao Wall Street, vale muito a pena.
As porções são bem saborosas mas não são grandes.
Acho a ideia desse bar genial! Os preços das bebidas vão abaixando conforme a demanda vai diminuindo e os valores voltam a subir quando a demanda aumenta!
Os valores ficam aparecendo em volta do bar, como se fosse uma bolsa de valores.

Acho interessante também o fato de que quando você quer fazer um pedido, não à necessidade de chamar um garçom. Existe um ''computador'' na sua mesa em que você escolhe o que quer pedir, e passa o cartão (sua comanda) para finalizar. O pedido foi feito e o garçom irá trazer!
Isso faz com que o atendimento seja mais rápido e você não precise se preocupar.

O único ponto negativo, é que das 3 vezes em que fui, as duas últimas o sistema que faz com que os valores ''abaixem e subam'' das bebidas estava fora do ar. Isso quer dizer que os valores estavam normais.
O bar é muito legal pra quem quer sair do comum na hora do happy hour ou em comemorações. A ideia de simulação da bolsa de valores não poderia ser melhor. Você fica ligado a cada momento pra ver se a sua cerveja preferida vai estar em baixa ou em alta e na hora que o valor cai já corre pra garantir a sua. E o melhor, a cerveja não deixa a desejar! Diversas opções pra você escolher e sempre beem geladinha!
Outra coisa que achei super interessante é a escolha da música, onde todos são os dj's da noite. Nada disso de não gostar do que está tocando, tem uma lista completa que faz o gosto de qualquer um!

Atendimento:
Excepcional. Os funcionários são animados, simpáticos e educados principalmente. Os pedidos não demoram mais que o comum e vem sempre do jeitinho que a gente gosta.

Comida:
Os petiscos são uma delicia! Diferentes e ideais pra dividir com os colegas.

Preço:
Experimentei de tudo quanto é cerveja, comi, cantei, me diverti e gastamos R$234 em 5 amigos
O Wall Street Bar tem um diferencial de todos os outros bares de São Paulo: um criativo sistema de "pregão" computadorizado, onde os preços de cervejas e drinks oscilam conforme a demanda, como acontece com as ações de uma bolsa de valores: se uma cerveja for muito procurada, o preço sobe; caso contrário, desce. E tudo isso é acompanhado por uma "fita" de leds no alto e em telas touch screen, de onde pode se escolher o que quiser ao toque de um dedo (inclusive músicas, a 1 real cada, num sistema de jukebox). Em um dos dias que fui, o valor da Serra Malte (com preço-base de R$7,50) variou de 4 a 12 reais. Em um determinado momento da noite, acontece o "crash" da bolsa que, com divertido estardalhaço, faz com que todos os preços retornem aos valores originais.

Com decoração cuidadosamente despojada e pé direito alto, a casa é muito agradável e possui dois pisos, incluindo uma espaçosa sala de bilhar. Se quiser ir a um lugar com uma proposta diferente e cheio de gente bonita, vai fundo que a diversão é garantida. Só que é bom chegar cedo (antes das 22hs) porque o lugar costuma lotar. Para encontrar é fácil: tem uma réplica em fibra da célebre escultura Charging Bull (que fica em Wall Street, NY) logo na entrada.
Nota 8 para o bar.

Atendimento:
Excelente atendimento, consegui pedir bebida numa tela que havia na minha mesa e as bebidas vieram rápido.
Porém faltou estrutura, já que como estava na mesa da frente com essa tela todo mundo que entrava achava que eu era a recepcionista.

Ambiente:
Ambiente gostoso para encontro com amigos. Bem legal a forma como os preços das bebidas vão subindo e caindo.
Nos sentimos milionários em plena Wall Street aguardando o momento certo para desfrutar da enorme variedade de cervejas. Como numa bolsa de valores, o preço das cervejas variam durante a noite conforme o consumo das mesmas. O problema é que a conta pode acabar saindo mais cara do que o esperado. Destaque para o computador na mesa que faz as vezes do garçom na hora de anotar pedidos e permite a escolha de músicas numa espécie de jukebox eclética e divertida.
Lugar muito bom para curtir a noite com amigos no melhor estilo financeiro! Ao chegar você irá se deparar com uma réplica do touro da Wall Street, centro de investimento de NY!
Com valor fixo de consumação para homem (R$ 50,00) e para mulher (R$ 30,00), os preços das bebidas variam conforme aumentam os pedidos.
Em cada mesa, há um monitor touch screen para realizar seu pedido, para que, em instantes, o garçom te trás o pedido desejado.
Você tem a opção de escolher pratos também. E há também a opção de escolher a música que irá tocar, mas demora muito até isso acontecer.
O fato de exisitir o valor da consumação, as pessoas irão gastar em bebidas, fazendo o preço variar constantemente.
Chega uma bora que a bolsa quebra e os valores são resetados.
Voltamos ao Wall Street Bar para o Evento do Kekanto, o famoso evento dos Elites.

Chegamos no Wall Street Bar entre 19h e 20h e novamente sentimos todo o clima que o bar tem. Se trata de um bar despojado, descolado e ao mesmo tempo muito bem ambientado, com um público seleto e muitíssimo animado.

No andar térreo, o público é um pouco mais velho, ou melhor mais sábio...rs Já no andar de cima o clima é mais de bagunça, paquera e porque não dizer de ""pegação"".

Para o evento foi reservado 3 mesas ao lado do bar no andar superior e ao pouco os convidados começaram a chegar e se acomodar nas confortáveis cadeiras do estabelecimento. De cara pedimos 2 cervejas Uruguaias Patrícia (foi a primeira vez que tomamos), pois elas estavam em baixa na formidável oscilação do pregão do Wall Street Bar. Elas estavam custando na casa dos R$ 16,00, e olha que estamos falando de litrão.... compensava muito e não tinha como perder essa "''pechincha"".

Percebíamos que as mesas variavam bastante. Era gente tomando brahma (Rafael Assad), Stella Artois (Marcelo Catach), Colorado (Gustavo, o Elder Puggina, a Janaína Portela), Baden Baden (Roberto e Jéssica), Serra Malte (a preferida da Érica e do Fábio), Original (a preferida do Elvinho) e até a Eisenbahn Strong Golden Ale (a preferida da Fernanda Lempek). Também experimentamos a inovadora Hoffman e a suave Karavele, tudo muito show!

Talvez esse seja o ponto negativo do Wall Street Bar, pois são tantas marcas que você acaba tomando e misturando todas e a dorzinha de cabeça para o dia seguinte é inevitável.

Mas para isso há solução.

Numa certa hora há o momento do CRASH WALL STREET, onde todos os preços são ""resetados"" e eles voltam ao preço original, ou melhor, ao preço padrão ofertado pela casa. E é exatamente essa uma boa hora para se comprar X cervejas como se o Wall Street Bar fosse um bar normal. Tá certo que desse jeito não dá para barganhar nada. Mas se você for no Wall Street apenas para beber uma cervejinha sem compromisso, você pode usar esse momento para comprar suas 4 garrafinhas da noite ou suas 10 cervejinhas (não é Elvinho?) pelo mesmo preço.

Gostaríamos de deixar um destaque todo especial para o gerente Avelino que nos recebeu de forma muito calorosa. Também pudemos conversar com a fenomenal Cheff Lara Petrella que nos propôs algum evento temático ou algo do gênero. Não seria demais? Pra quem não sabe a Lara é uma consultora gastronômica do Occhidoro. Ela é muito simpática. Parabéns ao bar por ter uma equipe como essa, além é claro dos garçons que estão todos de parabéns.

Os petiscos que comemos estavam ótimos e eram excelentes para acompanhar um cervejinha. Uma pena a gente não ter pedido novamente o escondidinho de fillet mignon. Mas oportunidades não faltarão......

Comemos no WSB as famigeradas bruschettas, a calabresa aperitivo, os croquetes de mousse de abóbora com camarão. Todos são nota 10 é claro. Sem falar no curioso suspiro de mandioca.

A casa também conta com as compras de músicas, sendo que o preço de cada música é R$ 2. Dando uma passada rápida se percebe que a maioria é ROCK, mas há boas opções mais ecléticas também...

O Evento correu noite adentro regado a muita conversa. Pudemos ouvir novamente o Fábio contando a história do Wall Street Bar. Quem sabe um dia o WSB não terá a sua história contada em um livro, assim como tem o Pirajá e o Original....seria fera demais.

Também ficamos sabendo que o Wall Street Bar vai virar franquia e já há vários interessados na idéia. Espero que dê certo e seja um sucesso. Outro fato curioso é que o Wall Street Bar vai remodelar a interface do Touch, incluindo fotos dos petiscos. Com certeza será de dar água na boca.

Os drinks são outro ponto forte do WSB. Para quem duvida que tal experimentar o MOJITÃO. São 2 litros dessa agradável bebida. É ou não é de sair com as pernas trançando.....rs

Na saída do bar, nós ainda tivemos tempo para tirar umas fotinhos do símbolo do bar, o famoso touro na entrada do bar. É quase que uma obrigação tirar uma foto do ""bichinho""

Ficamos até quase 4h e foi tudo muito mágico (O Bar costuma fechar às 3h, mas esse dia foi diferente....
Exibindo de 1 a 14
Total de opiniões: 73
Você conhece o Wall Street Bar? Escreva uma opinião! Dê sua nota! Nota geral
Passe o mouse pelas estrelas clique para dar nota

Opinião
Para enviar fotos ou preencher os campos adicionais, faça seu (Você não perderá a opinião escrita)

Baixe o app grátis Veja mais